Homem negro é morto pela polícia com dois tiros nas costas em Atlanta, EUA

Por Metro Jornal

Um novo caso de morte durante operação policial tem alimentado o debate sobre o sistema de policiamento norte-americano e sua relação com pessoas negras. Rayshard Brooks, de 27 anos, foi atingido com tiros nas costas por tentar escapar da prisão; o homem estava sendo detido por testar positivo no teste do bafômetro, após ser visto dormindo em seu próprio carro.

O caso aconteceu na noite de sexta-feira (12), em Atlanta, nos Estados Unidos. Dois policiais brancos atenderam um chamado sobre um homem que dormia dentro de um carro no estacionamento drive-thru de um restaurante fast-food.

LEIA MAIS:
Em São Paulo, covid-19 mata seis pessoas por dia dentro de casa
Barbra Streisand doa ações da Disney para a filha de 6 anos de George Floyd

Inicialmente, os agentes pedem que Brooks mova seu carro para outro lugar, desocupando o drive-thru. Em seguida, os policiais pedem que o homem faça um teste do bafômetro, ao que ele concorda, mas avisa que consumiu bebida alcóolica horas antes.

Brooks, ao sair do carro, também avisa aos policiais que não está carregando nenhuma arma, e uma rápida busca corporal confirma a afirmação. Depois do teste, um dos policiais começa a colocar as mãos de Brooks atrás das costas para algemá-lo. Só a partir deste momento, o homem para de cooperar e começa a resistir à prisão.

Policiais conseguem jogá-lo no chão, mas ele continua a resistir. Durante a briga, um dos agentes tira um taser (arma de choque) do uniforme e tenta utilizá-lo no homem, porém Brooks acaba conseguindo tirá-lo da mão do policial.

É aí que Brooks escapa, correndo para longe dos policiais. A ação é toda gravada por câmeras no uniforme policial. O vídeo mostra o fugitivo olhando para trás e, em seguida, caindo no chão. Autópsia deste domingo (14) determinou que sua morte foi causada por danos aos órgãos e perda de sangue, provocados por dois tiros que lhe atingiram nas costas.

LEIA MAIS:
Beyoncé escreve carta a procurador-geral e pede justiça por jovem negra morta pela polícia

Rayshard era casado, e era pai de três filhas pequenas, além de ajudar a criar seu afilhado, de 13 anos. O teste positivo do bafômetro teria sido por conta de uma pequena reunião familiar, em que o homem e sua filha mais velha planejaram uma festa de aniversário para a garota, que completou nove anos no sábado (13).

O policial que disparou três vezes sua arma de fogo contra Brooks foi demitido da polícia um dia após a morte, enquanto o outro agente envolvido na ação foi movido para um cargo administrativo. Ainda no sábado, a prefeita da cidade de Atlanta chamou a morte do homem de 27 anos de "injustificada".

A chefe de polícia de Atlanta, Erika Shields, pediu demissão do cargo no final de semana. Garrett Rolfe, que provocou a morte de Rayshard, ainda não foi acusado de crime algum.

Loading...
Revisa el siguiente artículo