Ainda não é hora de sair ‘batendo perna’ em shopping; veja cuidados

Comércios e shoppings começam a ser liberados em todo o país, mas especialistas alertam que serviço deve ser usado com moderação

Por André Vieira - Metro Jornal

A flexibilização da quarentena tem feito o comércio de rua e os shoppings abrirem aos poucos em todo o país. É compreensível que haja uma certa ansiedade para frequentar esses espaços, depois de tanto tempo fechados, mas a saída para as compras deve ser feita com moderação.

Além de ainda não termos atingido o pico da pandemia do novo coronavírus, existe o aumento potencial do risco de contaminação, que é maior em locais fechados e com circulação de pessoas, como nas lojas.

Quando falamos, tossimos ou espirramos, liberamos gotículas que ficam no ar numa espécie de nuvem, que também pode carregar o vírus de alguém que esteja infectado.

Quem explica é a epidemiologista Adélia Marçal, especialista em dinâmica em transmissão de doenças infecciosas e professora de medicina da USCS (Universidade Municipal de São Caetano). “As gotículas maiores se depositam nas superfícies, mas uma parte significativa delas, de tamanho bem pequeno, até invisíveis, pode permanecer em suspensão por períodos variáveis.”

Segundo a professora, em locais mais ventilados, como ao ar livre, as gotículas são dispersadas rapidamente, com menor capacidade infectante. “Já nos ambientes fechados, as gotículas podem ficar suspensas por horas e tocarem no rosto de quem passa, ou serem inaladas durante a respiração ou a fala.”

Para minimizar esses efeitos, os estabelecimentos estão adotando uma série de medidas. As lojas e os centros de compras têm operado com limitação de público e de horário e estão medindo a temperatura dos clientes, fazendo demarcações para lembrar o distanciamento e criando corredores de fluxo único.

Ainda assim, a recomendação da professora é que só devemos sair se for necessário, e tomando os devidos cuidados, como usar máscara, passar álcool gel e permanecer por pouco tempo nas lojas, evitando tocar em muitos produtos e sem usar banheiros ou provadores (veja mais acima). “Muita gente deseja sair e ir às compras como escape para a tensão do isolamento. Se for esse seu motivo, prefira ir a um lugar ao ar livre”, afirma Adélia.

‘Novo código de defesa do consumidor’

  • Veja dicas e orientações de como se comportar no comércio durante a pandemia do novo coronavírus
  • Só procure o comércio se houver necessidade de fazer compras. Se a ideia é só sair um pouco de casa, prefira um lugar ao ar livre
  • Antes de sair às compras, verifique se a loja que pretende ir está aberta e tem o que você deseja. Não é hora de fazer pesquisas ou ‘bater perna’
  • Evite estabelecimentos com muito movimento ou com aglomeração de pessoas. Fuja daqueles que tiverem grandes filas na porta
  • Fique pouco tempo dentro das lojas, mantenha a distância de outras pessoas e evite tocar em produtos além daqueles que deseja comprar
  • Passe álcool gel nas mãos depois de tocar em superfícies como balcões e corrimões ou após fazer o pagamento na maquininha de cartão
  • Evite usar banheiros e provadores nas lojas e também comer em locais onde haja grande concentração de pessoas
  • Não retire sua máscara, principalmente ao conversar com outras pessoas
  • Sempre que possível, opte por compras online, mesmo que tenha que ir buscar na loja, pois reduz a sua exposição aos ambientes fechados
Loading...
Revisa el siguiente artículo