Pizza feita em forno elétrico gera polêmica na Itália

Por Ansa

A Associação de Pizzaiolos Napolitanos afirmou que o reconhecimento da "Arte dos Pizzaiolos Napolitanos" como Patrimônio Imaterial da Humanidade da Unesco pode estar em risco devido ao uso do forno elétrico na produção do alimento.

O alerta surgiu após uma polêmica envolvendo o uso do equipamento pela Associação Verace Pizza Napolitana (AVPN), que defende a prática.

"A arte da pizzaria napolitana também reside no uso do forno a lenha para cozinhar pizza. Nossa tradição não pode se dobrar às escolhas econômicas", afirmou Sergio Miccù, presidente da Associação de Pizzaiolos Napolitanos.

Segundo ele, "com o uso do forno elétrico o próprio reconhecimento da Unesco está em risco, assim como a marca Stg, especialidade tradicional garantida".

"Não desistiremos do que diferencia nossa arte da de qualquer pizzaiolo que não seja da cultura e contexto napolitano", acrescentou Miccù, ressaltando que "o forno elétrico certamente pode ser usado para cozinhar pizza, onde não há possibilidade de usar o forno a lenha". Para o italiano, chamar "a pizza cozida no forno elétrico de verdadeira pizza napolitana é algo que subverte a disciplina e reconhecimento da Unesco, onde está expressamente previsto".

Veja também:
Doméstica trabalhou por 35 anos sem receber salário na Bahia
Brasil chega a quase 41 mil mortes por covid-19; veja balanço de quinta

Por fim, Miccù lembrou de todos os "grandes empreendedores que gastam muito dinheiro por mês apenas para escolher o local onde podem instalar o forno a lenha, além dos que produzem tomate, farinha adequada para cozinhar no forno a lenha".

"A Associação de Pizzaiolos Napolitanos sempre lutará pela proteção da pizza napolitana de acordo com a tradição, ensinando e transmitindo a arte dos pizzaiolos napolitanos com sua própria escola de treinamento", finalizou.

O presidente da AVPN, Antonio Pace, por sua vez, afirmou que, com a possibilidade de usar o forno elétrico, o reconhecimento da Unesco pelo prato típico fabricado em Nápoles não está em risco.

"Durante a campanha de reconhecimento, foram feitas pizzas na sede da Unesco em Paris, em Nápoles e em muitas outras cidades do mundo, usando o forno elétrico, mesmo com a câmara fechada. Existem características positivas do forno elétrico que são indicadas por muitos como o futuro possível da pizza napolitana", explicou.

Pace ainda afirmou que "dizer sim ao uso de fornos elétricos para cozinhar pizza não significa distorcer nossa especificação de produto, mas simplesmente oferecer aos operadores mais uma chance em um contexto que também deve levar em conta aspectos ambientais".

A "Arte dos Pizzaiolos Napolitanos" foi escolhida como Parimônio Imaterial da Humanidade pelo Comitê da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura em 2017. O reconhecimento ocorreu porque, de acordo com a Unesco, a artes dos napolitanos "é uma prática culinária que consiste em quatro diferentes fases, desde a preparação da massa até o cozimento em forno".

Loading...
Revisa el siguiente artículo