Avenida Paulista terá rodízio semanal de protestos pró e contra Bolsonaro

Por Metro Jornal com Rádio Bandeirantes

A partir desta semana, a Avenida Paulista, palco principal das manifestações em São Paulo, vai passar a ter rodízio de protestos prós e contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Leia mais:
Estátuas de símbolos escravagistas são alvos de protestos e vandalismo
Futebol paulista retoma treinos na segunda (se prefeituras permitirem)

Uma reunião virtual com a intermediação da Polícia Militar e do Ministério Público firmou nesta quarta-feira (10) um acordo com as lideranças dos movimentos divergentes. O objetivo é evitar confrontos entre os manifestantes e a Polícia Militar.

Neste domingo

De acordo com o MP, ficou definido que, no próximo domingo (14), a Paulista será ocupada pelos manifestantes de oposição ao governo federal.

O ato terá início às 14h, na altura do Masp; de lá, o grupo sairá em marcha até se dispersar às 16h30.

No mesmo dia, apoiadores do presidente deverão se concentrar no Viaduto do Chá, próximo à sede da Prefeitura, entre as 12h e as 18h.

O subprocurador-geral de Justiça Arnaldo Hossepian explicou em entrevista à Rádio Bandeirantes que, mesmo ao fim dos protestos, os grupos deverão se manter distantes entre si.

Participaram do acordo representantes do MTST, da Frente Povo sem Medo e dos movimentos “Somos Democracia”, “Deus, Pátria e Liberdade” e “Damas de Aço”.

Loading...
Revisa el siguiente artículo