Interino da Saúde diz que dados da covid-19 'não diziam nada ao país'

Por Metro Jornal com Estadão Conteúdo

O general Eduardo Pazuello, ministro interino da Saúde, voltou a justificar a confusão relacionada a mudanças nos boletins diários da covid-19. Nesta terça-feira (9), o ministro afirmou que os dados estavam sendo divulgados de forma que "não dizia nada aos gestores e ao nosso país".

"Eu estava somando contas que não existem, que não eram somáveis", alegou o chefe da pasta. "
"Se não olharmos para a data do óbito, o gestor não consegue entender o que está acontecendo na sua cidade, não consegue ter medidas para corrigir".

LEIA MAIS:
Contrariando protocolo da Saúde, hidroxicloroquina será usada para ‘prevenir’ covid-19
São Paulo tem novo recorde diário de mortes confirmadas por covid-19

Após pressão do presidente Jair Bolsonaro, que exigiu divulgação em horário mais tardio na semana passada e, depois, cobrou óbitos abaixo da marca dos mil por dia, o Ministério da Saúde está planejando uma nova forma de apresentar os dados da covid-19.

A ideia é destacar óbitos ocorridos num dia anterior, mas registrados com atraso, dos óbitos ocorridos e registrados no mesmo dia. Antes, a pasta dava maior destaque para a soma de vítimas do dia com casos de outras datas.

Pazuello garantiu que a divulgação dos dados não deixará de ocorrer. "Não existe como reduzir ou limitar número de óbitos."

Nesta terça-feira (9), o Supremo Tribunal Federal exigiu a divulgação integral dos números de infectados e mortos pela covid-19, após um fim de semana de instabilidade e ausência de números na plataforma oficial do governo.

Loading...
Revisa el siguiente artículo