Protestos de domingo terminam com repressão da PM e 32 pessoas detidas em São Paulo

Por Metro Jornal

Pelo menos 32 pessoas foram detidas durante as manifestações deste domingo (7) em São Paulo, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

A manifestação contra o fascismo e o presidente Jair Bolsonaro ficou concentrada no Largo da Batata, na zona oeste da capital, e o protesto em apoio ao presidente foi realizado na Avenida Paulista.

Veja também:
Grande São Paulo deve iniciar flexibilização da quarentena na próxima semana
São Paulo coloca 784 ônibus em circulação com flexibilização da quarentena

O ato antifascista terminou com repressão da Polícia Militar, que lançou bombas de gás lacrimogênio e tiros de borracha para dispersar os manifestantes na rua dos Pinheiros, por volta das 18h30. Ninguém ficou ferido. Já o ato na Paulista não foi reprimido pelos agentes.

De acordo com a SSP, alguns manifestantes apreendidos portavam armas brancas e objetos supostamente utilizados para fazer coquetéis molotov. Na Consolação, região do ato a favor do presidente, sete pessoas foram levadas para a delegacia. No entanto, eram jovens que estavam indo para o protesto contrário. A polícia alega descumprimento da medida judicial que impedia manifestações opostas no mesmo local.

Um vídeo divulgado nas redes sociais ainda mostra os PMs fazendo abordagens truculentas a algumas pessoas que circulavam na rua dos Pinheiros, por volta das 22h30.

Loading...
Revisa el siguiente artículo