Ato contra Bolsonaro ocorre no largo da Batata e protesto a favor, na Pamplona

Por Estadão Conteúdo

A manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro neste domingo (7) na capital paulista fechou um trecho da avenida Brigadeiro Faria Lima no largo da Batata sentido avenida Rebouças, próximo ao metrô. Manifestantes ocuparam parte da praça que vai até o quarteirão da Igreja Paróquia Nossa Senhora de Monte Serrante.

A grande maioria dos manifestantes estava de máscara, mas ninguém respeitou o distanciamento de dois metros. Há apenas um carro de som que é compartilhado com os líderes do ato; torcedores, líderes estudantis da UNE e ativistas do Conlutas (ligado ao Psol).

Em outro ponto da cidade, um grupo de manifestantes a favor de Bolsonaro se reuniu na esquina da avenida Paulista com a rua Pamplona, próximo ao prédio da Fiesp. Manifestantes carregavam faixas que pediam "intervenção militar" e com críticas ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Com bandeiras do Brasil e do Estado de São Paulo, os manifestantes ficaram a maior parte do tempo sobre a calçada, na esquina, sem número suficiente para ocupar as faixas de trânsito. O tráfego de veículos na via não foi afetado entre 11h e 15h30.

Além de pedir "intervenção militar com militar no poder", alguns manifestantes defendiam interesses de suas categorias profissionais. Duas pessoas carregavam uma faixa que pedia a reabertura de barbearias na cidade. Não houve registro de ocorrências policiais no movimento.

Manifestação - avenida Paulista - 7 de junho de 2020 Ato a favor de Bolsonaro na avenida Paulista / Adriano Vizoni/Folhapress

Protestos opostos em Brasília

Manifestantes ocuparam, na manhã de, parte da Esplanada dos Ministérios, em protesto contra o presidente Jair Bolsonaro e a favor da democracia. Um outro grupo menor de manifestantes também marca presença em um dos lados da via central de Brasília.

A Polícia Militar fez um cordão de isolamento para impedir que os manifestantes avançassem até a praça dos Três Poderes, onde fica o Palácio da Alvorada. Os policiais isolaram o canteiro central da Esplanada, como forma de evitar o contato entre os dois grupos.

Loading...
Revisa el siguiente artículo