Interior de SP começa reabertura aos poucos; capital aguarda protocolos

Por Metro Jornal

Autorizada pelo governo do estado desde segunda-feira, 1º, a flexibilização da quarentena está começando a ser testada pelas cidades do interior de São Paulo com bons e maus exemplos de comportamento.

Os municípios do interior estão entre as fases 2-laranja e 3-amarela, que permitem a reabertura de alguns setores, mas com restrições e com o dever de se cumprirem regras, como o uso de máscara e de álcool gel e o distanciamento.

Em Ribeirão Preto, que está na fase 2, Bauru e Presidente Prudente, ambas na fase 3, a movimentação nas ruas é grande e alguns comércios têm ficado cheios, desrespeitando a limitação de público. Os que tentam controlar o fluxo da porta para dentro têm visto filas se formarem do lado de fora, gerando aglomeração.

Os shoppings também já estão reabrindo, com horário reduzido. Algumas unidades estão medindo a temperatura dos clientes na entrada e restringindo o acesso. Segundo a associação nacional, em todo estado, 38 shoppings de 15 cidades já voltaram a funcionar.

Em Araraquara, o comércio está distribuindo senhas entre os clientes para evitar tumultos, e Taubaté determinou que as lojas não poderão abrir nos fins de semana.

A cidade de Marília, que está na fase 2, saltou por conta própria para a fase 4 e já liberou por decreto o funcionamento de atividades que só serão previstas nesta etapa, como as academias de ginástica. Nenhuma cidade do estado está na fase 4 ainda e o Ministério Público questiona a decisão da prefeitura.

Com cautela

Apesar de estarem na fase 2 e também autorizadas a flexibilizar a quarentena, prefeituras como as de Campinas, Votuporanga e São Paulo decidiram manter o comércio fechado enquanto ainda estudam com os setores os protocolos que serão seguidos para a reabertura.

A capital informou ontem que já recebeu e está analisando 54 propostas de associações. O prefeito Bruno Covas (PSDB) deverá fazer amanhã um anúncio sobre o andamento dos processos. Ainda não há data para a retomada do comércio.

A classificação das regiões leva em conta indicadores como o controle da pandemia do novo coronavírus e a capacidade hospitalar. Grande São Paulo, Baixada Santista e Registro são as únicas regiões do estado que ainda estão na fase 1-vermelha, com quarentena mais rígida e permissão para abertura somente dos serviços essenciais.

REGRA GERAL

Orientações do governo do estado para a reabertura conforme a fase da quarentena

LARANJA

  • Shoppings (com proibição de abertura das praças de alimentação), comércio de rua e serviços em geral podem funcionar  com capacidade limitada a 20%, por até 4h seguidas e com a adoção de protocolos sanitários.

PROIBIDA A ABERTURA:

  • Bares e restaurantes para consumo local
  • Salões de beleza e barbearias
  • Academias em todas as modalidades
  • Outras atividades que gerem aglomeração

AMARELA

  • Shoppings (com proibição de abertura das praças de alimentação), comércio de rua e serviços em geral podem funcionar  com capacidade limitada a  40%, por até 6h  seguidas e com a adoção de protocolos sanitários.

Adicionam-se à lista:

Bares e restaurantes que estarão liberados apenas para atendimento ao ar livre.

PROIBIDA A ABERTURA:

  • Academias e eventos que gerem aglomeração
Loading...
Revisa el siguiente artículo