Cidade de São Paulo tem 92% dos leitos de UTI ocupados

Por Bruna Barboza - Rádio Bandeirantes

Cinco hospitais municipais de São Paulo estão com ocupação máxima de UTI. Três deles ficam na zona leste: Santa Marcelina, em Cidade Tiradentes, Professor Waldomiro de Paula, em Itaquera, e Doutor Ignácio de Proença Gouveia, na Mooca.

Também há registro de lotação na zona norte, no hospital Doutor José Soares Hungria, em Pirituba, e na sul, no Doutor Arthur Ribeiro de Saboya, no Jabaquara.

Para atender aos pacientes das regiões, a prefeitura espera alugar leitos de hospitais particulares ainda nesta semana. A Rádio Bandeirantes apurou que a gestão municipal ainda não definiu quais seriam essas instituições.Até o momento, 13 hospitais, juntos, já se comprometeram a fornecer mais de 800 leitos de UTI.

A taxa de ocupação na cidade, de acordo com o último levantamento, é de 92%. Na rede estadual de Saúde a situação também já começa a preocupar autoridades. Os hospitais de Guaianazes, na região leste, e do Ipiranga, na zona sul, já não têm mais vagas de UTI.

Veja também:
Dólar cai com otimismo no exterior e fecha a R$ 5,69, menor nível desde o dia 5
Fotos emocionantes retratam parto humanizado de homem trans

Em outros dois o colapso pode chegar a qualquer momento: o Hospital das Clínicas atende com 99,3% da capacidade e o de Itaquaquecetuba 95,5%. Há ainda outros seis hospitais com capacidade superior a 90%: na capital, o geral de Taipas e o conjunto hospitalar do Mandaqui.

Em Santos, no litoral do Estado, no Guilherme Álvaro; e lotação nos hospitais estaduais de Presidente Prudente, Osasco e Sorocaba. Até o momento, 3.441 leitos já foram criados para atender pacientes de coronavírus em unidades de saúde que já existiam e em hospitais de campanha. O estado afirma que outros 1,3 mil já estão prontos e precisam, somente, receber respiradores para que sejam utilizados a partir da semana que vem.

Nesta manhã, será inaugurado o hospital de campanha de Ferraz de Vasconcelos, com capacidade para 30 pacientes: 10 na UTI e 20 na enfermaria. Com portas abertas, o atendimento será feito das 8 da manhã até às 10 da noite.

Na quarta (20), a maior favela de São Paulo também recebeu um reforço com leitos de campanha. O hospital de campanha de Heliópolis, instalado no mesmo local que a AME Barradas, conta com 200 leitos, sendo 24 de UTI. Mais de 200 médicos foram contratados para atender no local.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo