Estado de São Paulo e prefeitura querem 'superferiado' de seis dias

Por Metro Jornal

O governo estadual e a Prefeitura de São Paulo vão encaminhar ao legislativo pedidos de antecipação de feriados para esta semana. O objetivo é aumentar o índice de isolamento social na capital paulista e demais municípios para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus.

Os feriados que mudariam de data são Corpus Christi (11 de junho), Dia da Revolução Constitucionalista (9 de julho) e Dia da Consciência Negra (20 de novembro). Se aprovados, a capital teria quase uma semana de folgas, com feriados na quarta (20), quinta (21) e segunda (25). Na sexta-feira (22), seria considerado ponto facultativo, totalizando, com o fim de semana, seis dias de parada.

Veja também:
São Paulo tem 3 km de congestionamento com retorno do rodízio tradicional
Doria: protocolo de ‘lockdown’ existe em SP, mas não será adotado já

“Ficou claro que ao longo dos finais de semana e dos feriados nós temos índices mais elevados de isolamento e isso contribui para o controle da pandemia”, afirmou o governador João Doria (PSDB).

Nesta segunda (18), às 15h, a Câmara Municipal de São Paulo começa a debater o projeto para a antecipação dos dois feriados municipais – Corpus Christi e Dia da Consciência Negra. Já na Assembleia Legislativa, o pedido do governo será pela antecipação do Dia da Revolução Constitucionalista.

“Toda a nossa preocupação nessas ações para ampliar o isolamento social é para não deixar que todo mundo fique doente ao mesmo tempo e a gente tenha que superlotar o sistema público de saúde”, disse o prefeito Bruno Covas (PSDB).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo