PF abre inquérito para apurar denúncia de vazamento a Flávio Bolsonaro

Por Rádio Bandeirantes

A Polícia Federal instaurou um procedimento para apurar a denúncia de vazamento da Operação Furna da Onça ao senador Flávio Bolsonaro, apontada pelo empresário Paulo Marinho.

Neste domingo (17), a PF afirmou que todas as notícias de eventual desvio de conduta devem ser apuradas e acrescentou que a corporação "se notabilizou por sua atuação firme, isenta e imparcial no combate à criminalidade, dentro de suas atribuições legais e constitucionais".

Veja também:
Relógios de rua de São Paulo mostram informações erradas sobre rodízio de veículos
Mais de 30 mil profissionais de saúde já foram infectados pela covid-19 no Brasil

Em entrevista à colunista Mônica Bergamo, Marinho afirmou que o então deputado Flávio Bolsonaro, filho do presidente, foi avisado com antecedência por um delegado da Polícia Federal que Fabrício Queiroz, ex-asssessor em seu gabinete, seria alvo da operação. O ex-funcionário foi acusado de comandar um esquema de "rachadinha" no gabinete do senador.

Marinho afirma que, na época, foi procurado por Flávio, que estaria "transtornado" e buscava a indicação de um advogado. Segundo ele, um delegado, simpatizante de Jair Bolsonaro, teria informado o senador sobre a existência da operação antes do segundo turno.

Os policiais ainda teriam segurado a operação, então sigilosa, para que não ocorresse no meio do segundo turno, o que poderia prejudicar a campanha de Bolsonaro. Segundo Paulo Marinho, as conversas podem explicar o interesse do presidente em controlar a Superintendência da PF no Rio de Janeiro.

 

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo