Decreto detalha regras de rodízio de veículos mais rígido em São Paulo

Por Metro Jornal com Rádio Bandeirantes

O decreto que amplia o rodízio em São Paulo a partir de segunda-feira (11) foi publicado na edição desta sexta-feira (8) do Diário Oficial do município. O texto esclarece algumas isenções que não ficaram claras após o anúncio, na manhã de quinta (7).

Além de profissionais da saúde e taxistas, veículos próprios de trabalhadores de farmácias, supermercados, quitandas, açougues, peixarias, centros de abastecimento de alimentos, lojas de conveniência, padarias, lojas de venda de água mineral e outros estarão liberados do rodízio.

Veículos que transportam pessoas com deficiência, doença crônica e grave ou que estejam em tratamento médico como quimioterapia e hemodiálise também poderão circular normalmente. A prefeitura também isentou carros de servidores de segurança, dos sistemas penitenciário e funerário, policiais, agentes federais, guardas e jornalistas.

Veja também:
Caminhões tombam e complicam caminhos nas marginais Tietê e Pinheiros
3 em cada 4 brasileiros vão comprar menos, diz pesquisa

O novo rodízio municipal de veículos estará ativo nas 24 horas do dia. Em dias pares, circulam veículos com placa final par; em dias ímpares, podem circular veículos com placa final ímpar. Ao contrário do modelo comum, em que a restrição ocorre apenas no Centro Expandido da capital paulista, a restrição valerá para toda a cidade.

A única exceção prevista no momento será no dia 31 de maio, quando o rodízio será liberado para evitar que apenas um grupo (ímpar) rode por dois dias seguidos. O desrespeito ao rodízio é uma infração de nível médio, com multa no valor de R$ 130,16 e acréscimo de quatro pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) do motorista.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo