Metade dos hospitais municipais de São Paulo estão quase sem leitos

Por Metro Jornal

O sistema municipal de saúde da cidade de São Paulo está cada vez mais sobrecarregado. Segundo o secretário da Saúde, Edson Aparecido, metade dos hospitais públicos da capital paulista estão com mais de 95% dos leitos ocupados.

A informação foi divulgada durante uma coletiva de imprensa com o prefeito Bruno Covas (PSDB) e o secretário de Mobilidade e Transportes, Edson Caram. Na sessão, a prefeitura anunciou o retorno do rodízio de veículos, em um modelo bem mais rigoroso.

Entre os hospitais praticamente lotados estão o recém inaugurado na Bela Vista, no centro, além de Itaquera, na zona leste, e Vila Maria e Pirituba, na zona norte. Nessa semana, a prefeitura confirmou que vai alugar leitos de UTI (unidades de terapia intensiva) de hospitais particulares.

Ainda de acordo com Aparecido, todos os distritos de São Paulo registraram mortes por covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Nas subprefeituras de Brasilândia, zona norte, e Sapopemba, zona leste, são mais de 100 óbitos cada.

"Isso nos leva a crer que estamos num momento de ascendência da doença, tanto do ponto de vista de disseminação, como do ponto de vista dos óbitos", afirmou.

Veja taxa de ocupação de leitos de alguns hospitais citados na coletiva:

• Hospital da Bela Vista – 95%
• Hospital de Itaquera – 95%
• Hospital da Vila Maria – 95%
• Hospital de Pirituba – 95%
• Hospital da Mooca – 84%
• Hospital do Jabaquara – 83%
• Hospital de Parelheiros – 83%
• Hospital do Tatuapé – 77%

Loading...
Revisa el siguiente artículo