Paulistano aprova SUS e vê impacto maior do coronavírus na periferia

Covid-19. Pesquisa da Rede Nossa São Paulo mostra que morador da capital acredita que a saúde pública ajudou a conter o coronavírus e merece mais investimento. Para 81%, extremos da cidade sofrerão mais as consequências da pandemia

Por André Vieira, Metro Jornal

A pandemia provocada pelo novo coronavírus está fazendo o paulistano rico e de classe média valorizar o SUS (Sistema Único de Saúde). A percepção está em pesquisa realizada com as classes A, B e C e que foi divulgada nesta terça-feira pela Rede Nossa São Paulo e o Ibope Inteligência.

Quando perguntados sobre qual o principal fator para diminuir os impactos da covid-19, o item mais citado, com 40% das menções, foi o de se fazer “mais investimento no SUS”. Outros 69% concordam que “as consequências seriam muito piores sem o SUS” e 62% disseram que “passaram a valorizar mais a saúde pública”.

O estudo também mostrou que 8 em cada 10 entrevistados acreditam que a periferia sofrerá mais com os impactos da pandemia. Para o coordenador-geral da Rede Nossa São Paulo, Jorge Abrahão, os indicadores demonstram a reaproximação do púbico em discussões políticas que envolvem o papel do estado e o combate à desigualdade: “É um amadurecimento diante da crise”.

O QUE PENSA O MORADOR DA CAPITAL ( Resultados da pesquisa Viver em São Paulo Especial Pandemia)

arte pesquisa Divulgação
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo