Hospital de campanha do Pacaembu faz um mês com 75% de ocupação

Por Lucas Herrero - Rádio Bandeirantes

O hospital de campanha no estádio do Pacaembu, na zona oeste de São Paulo, completa um mês de funcionamento nesta quarta-feira (6). São 151 pacientes internados no local, o que equivale a 75% de ocupação dos leitos.

Em entrevista exclusiva à Rádio Bandeirantes, o coordenador médico da estrutura, Fábio Racy, deu detalhes da rotina de trabalho. Médico do Albert Einstein, ele disse que tem passado mais tempo sob a tenda de mais de 6 mil metros quadrados do que na própria casa.

"É bem complexo, bem intenso. Eu costumo já passar diretamente na fase de estabilização, com os pacientes que precisam ser removidos para um outro hospital. Depois me encaminho para as enfermarias e vejo as possibilidades de altas, que são importantes para poder receber novos pacientes e desafogar os hospitais que estão precisando", contou.

Veja também:
Após reclamações, São Paulo suspende bloqueios em avenidas
Paulistano aprova SUS e vê impacto maior do coronavírus na periferia

São reuniões, videoconferências, monitoramento de pacientes e providências burocráticas para a transferência dos casos mais graves. A larga experiência ajuda o profissional a lidar com um processo tão complexo. Ele participou do atendimento de vítimas no terremoto no Haiti, em 2010, que deixou mais de 200 mil mortos.

"O cenário que a gente viveu no Haiti, foi uma situação intensa e súbita que ocorreu, um desastre muito grande, diferente do que ocorre na epidemia, que é um desastre que vai ocorrendo ao longo do tempo e você tem essa capacidade de se preparar."

Na visão do especialista, a covid-19 já vai deixando lições para o Brasil. Fábio Racy entende que o país se preparou como deu para a pandemia. Futuramente, com erros e acertos de hoje, ações preventivas podem ser aperfeiçoadas para enfrentar situações como essa, afirma o médico.

Loading...
Revisa el siguiente artículo