Estado de São Paulo terá reabertura da economia por fases; tire dúvidas

Por Metro Jornal

O estado de São Paulo anunciou na quarta-feira (22) que, a partir de 11 de maio, alguns estabelecimentos podem ser autorizados a reabrir, a depender de taxa de crescimento de pessoas com covid-19, leitos hospitalares disponíveis e número de pessoas testadas. Reabertura deve ser setorial e por região.

Detalhamento dos estudos e próximos passos para cada região será divulgado apenas no dia 8 de maio e a Grande São Paulo pode ficar na quarentena. Confira perguntas e respostas sobre o Plano São Paulo:

A quarentena continua no estado de São Paulo?
No estado de São Paulo, a quarentena continua sem mudanças até 10 de maio. Mas os setores autorizados a funcionar representam, segundo o governador João Doria (PSDB), 74% da estrutura econômica do estado.

Quais os setores hoje autorizados a funcionar?
Abastecimento –supermercados, farmácias, açougues, feiras livres, centrais de abastecimento, lojas de conveniência em postos de combustível com venda de produtos alimentícios, produtos de limpeza e outros ligados–, alimentação –restaurantes, lanchonetes, padarias, mas só com entrega ou drive-thru, sem consumo no local–, comunicação social, construção civil –incluindo lojas de material de construção–, hotéis, petróleo e gás –incluindo postos de combustível–, produção agropecuária e industrial, saúde, segurança, energia, transporte e logística, cartórios, clínicas veterinarias e pet shops, bancas de jornais, assistência técnica de produtos eletroeletrônicos, lavanderias, locadoras e oficinas mecânicas de veículos, incluindo borracharias e reparos de motocicletas e bicicletas, bancos, lotéricas, serviços de call center, todos os serviços médicos, odontológicos e fisioterápicos, Correios, data center.

Depois do dia 10 de maio a quarentena acaba?
Não. Será implementado o Plano São Paulo, que vai estabelecer setores que serão autorizados, a funcionar

Como será a saída da quarentena?
Vai depender de três critérios de saúde: taxa de crescimento do número de pessoas infectadas, capacidade do sistema de saúde de oferecer leitos de internação e número de pessoas testadas para a doença. Pode ser regionalizada, a depender da situação de cada área do estado, que serão classifica das em vermelha, amarela e verde. Segundo a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, hoje todas as regiões do estado estão nas classificações vermelha ou amarela.

Quando será divulgado quais setores e regiões terão flexibilização?
A divulgação está prevista para o dia 8 de maio.

A Grande São Paulo terá alguma mudança a partir de 11 de maio?
Não se sabe ainda. Atual mente, a região está com 73,7% de ocupação de leitos de UTI destinados à covid-19. Na capital, esse índice na segunda-feira era 73%.

Há fiscalização hoje dos estabelecimentos?
Sim. Na capital, 160 estabelecimentos que não poderiam estar abertos já foram flagrados e interditados, segundo a Prefeitura de São Paulo

Quais setores serão prioritários para reabrir?
Aqueles cuja atuação oferece menor risco de contato, que tenham maior possibilidade de distanciamento e que sejam mais vulneráveis do ponto de vista econômico.

Como está a situação dos testes de covid-19 no estado?
O Instituto Butantan divulgou ontem que a fila de testes que ainda aguardavam resultados foi zerada. Até o momento, foram realizados 35,5 mil testes no estado.

Haverá testagem em massa no estado?
Um programa está sendo estudado, mas, segundo o governo, os testes disponíveis são usados em situações diferentes: o RT-PCR é aplicado no momento dos sintomas e o teste rápido é mais eficiente 14 dias após a infecção, quando a pessoa criou anticorpos contra o novo coronavírus. Por isso, será necessário estudar em quem aplicar o teste rápido.

Como está a situação da evolução dos casos no estado?
Segundo David Uip, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, o afastamento social “achatou” a curva dos casos em São Paulo, impedindo o crescimento maior que era previsto antes.

O transporte público teve redução de passageiros?
A SPTrans informou que na última sexta-feira, o volume de passageiros nos ônibus municipais na capital foi 71% abaixo da média. No mesmo dia, a redução foi de 79% no Metrô (linhas 1-Azul, 2-Verde e3-Vermelha), 72% na CPTM e 70% na EMTU, segundo a Secretaria dos Transportes Metropolitanos.

O trânsito na capital está tendo aumento nos últimos dias?
A CET informou que ontem foi registrado o maior índice de lentidão no período da manhã desde o início da quarentena: 19 km às 8h

CLASSIFICAÇÃO DAS REGIÕES

Conforme dados da saúde, no estado de São Paulo:

Zona vermelha
Elevado número de novos casos OU alta ocupação de leitos de UTI;

Zona amarela
Estável número de novos casos OU ocupação adequada de leitos de UTI;

Zona verde
Baixo número de novos casos, baixa ocupação de leitos de UTI, testes disponíveis para sintomáticos e suspeitos, protocolos setoriais implementados.

 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo