Professores de São Paulo fabricam máscaras em impressoras 3D com recursos próprios para doação

Por Metro Jornal

Diante da pandemia de coronavírus e o crescente número de mortos na Capital, um grupo de professores, estudantes e voluntários ligados a diversas entidades de São Paulo se uniram e criaram o grupo Guardiões Pró-Vida, que fabrica máscaras em impressoras 3D para abastecer hospitais e unidades de saúde que enfrentam escassez de material de proteção para médicos e enfermeiros.

máscara face Reprodução

Todo o trabalho é feito com recursos próprios e doações. As impressoras 3D utilizadas são particulares ou cedidas por empresários, com mão de obra voluntária, e todo material é comprado com dinheiro do bolso dos próprios participantes. E com esse trabalho de formiguinha o grupo já fabricou 713 máscaras do modelo Face Shield (foto ao lado) .

Parte das máscaras (518) foram doadas para hospitais da zona leste da capital, como Santa Marcelina, Tide Setubal, Ermelino Matarazzo e outros. O restante está em fase de montagem e será distribuído em seguida.

"Formamos uma rede espontânea de colaboradores baseado no networking entre professores que trabalham ou desenvolveram projetos juntos", esclareceu o professor Uinguiston Nunes, um dos participantes do projeto.

Agora, pensando em ampliar a produção e atender a demanda cada vez maior, o grupo iniciou um projeto e crowdfunding para arrecadar recursos para compra de materiais. Quem quiser colaborar com o projeto deve clicar no link (aqui) e fazer sua doação

Quem quiser participar do grupo como voluntário, segue endereço das redes sociais do Guardiões Pró-Vida, que estão estudando também a fabricação de ventiladores pulmonares.

  • Instagram

https://www.instagram.com/guardioesprovida

  • Twitter

https://twitter.com/Guardioes

  • Facebook

https://www.facebook.com/guardioesprovid

  • Home page

http://guardioesprovida.com.br

Loading...
Revisa el siguiente artículo