Sobe total de incêndios na quarentena em São Paulo

Por Metro Jornal

No início da tarde desta segunda-feira, uma densa fumaça preta era vista de diversos pontos da zona norte de São Paulo. Ela vinha de um incêndio em uma comunidade na Brasilândia, a partir de fogo em ferro velho. Dez carros do Corpo de Bombeiros foram enviados para controlar o fogo.

A ocorrência está mais comum nesses meses de março e abril. De acordo com levantamento do Corpo de Bombeiros, houve aumento de 40% no total de incêndios nos meses de março e abril deste ano em relação ao mesmo período de 2019 no estado de São Paulo. Foram 2.560 ocorrências no estado em março do ano passado e 4.089 no mesmo mês deste ano. Em abril, até ontem, houve 2.589 registros, ante 2.198 até o dia 20 de abril de 2019.

O tenente Marcos Palumbo, porta-voz da corporação, explica que essa é uma época de clima mais seco, que favorece os incêndios.

A combinação desse fator com mais pessoas em casa pode explicar o aumento das ocorrências, diz ele. Palumbo afirma que há alta nas ocorrências em residências e avalia que uma das causas é o fato de haver mais pessoas “se aventurando na cozinha”, como ele define. “Há um risco em uma displicência ao cozinhar, por exemplo ao usar panela de pressão, ou jogar água em uma panela cheia de óleo quente, que dá uma grande explosão, pode atingir cortinas, panos, armários e iniciar um incêndio”, alerta.

Outro problema apontado pelo porta-voz dos bombeiros diz respeito à instalação elétrica. Palumbo diz que a recomendação é que a cada dez anos haja uma manutenção na casa, trocando fiação e disjuntores. “Pode acontecer por exemplo de você ligar uma cafeteira a uma tomada que não tem capacidade para ela; isso superaquece a fiação, ela encosta em material combustível e dá início a um incêndio.”

O uso do álcool a 70% também deve ser feito com cuidado. Palumbo lembra que ele tinha sido retirado de circulação por causa do grande número de acidentes, mas retornou nesse momento por sua capacidade de matar o vírus.

Como dicas adicionais, Carlos Henrique dos Santos, especialista em prevenção de riscos da empresa Sprink, lista outros cuidados, como não deixar velas acesas próximo ou sobre materiais de fácil combustão – ele aponta como solução colocar a vela dentro de um copo alto – e não deixar isqueiros e fósforos em local de fácil acesso para as crianças.

Por fim, Palumbo diz que os bombeiros estão acompanhando muitos incêndios em comunidades, como o
que ocorreu ontem na Brasilândia. “Eles podem acontecer por causa do mato seco, queimar lixo, há muitas casas de madeira e, com isso, o fogo vai se propagar rapidamente e provocar um incêndio”, afirma.

CUIDADOS PARA EVITAR FOGO

Na cozinha

  • Cuidado ao usar panela de pressão: baixe o fogo para evitar acidentes
  • Verifique se, ao colocar uma panela no fogão, a chama não atinge seu cabo
  • Não jogue água em panela com óleo quente

O álcool gel

  • Não fume logo depois de passar álcool a 70%
  • Não use fogo ou se aproxime de qualquer fonte de calor logo depois de passar álcool a 70%

Na rede elétrica

  • Não deixe celulares e laptops ligados à energia por longo período, principalmente ao dormir
  • Não ligue vários equipamentos em um mesmo ponto utilizando benjamins.
    Se for preciso conectar mais de um aparelho em uma mesma tomada, opte pelo filtro de linha (régua)
  • Não utilize equipamentos de 20A em tomadas para 10A, nem com adaptador. A tomada de 10A tem o orifício menor do que a de 20A, exatamente para que os plugs de 20A – mais grossos e que exigem uma amperagem maior – não sejam utilizados em tomadas de 10A
  • Não deixe ferro de passar roupa ligado sem a devida supervisão

PELA CASA

  • Não deixe velas acesas próximo ou sobre materiais de fácil combustão
  • Não deixe isqueiros e fósforos em local de fácil acesso para as crianças
  • Não fume em locais indevidos, principalmente sobre a cama ou o sofá
  • Não descarte bitucas de cigarros acesas

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo