Usuários do Twitter reclamam por terem auxílio emergencial negado

Por Estadão Conteúdo

Usuários do Twitter foram à rede social nesta segunda-feira (20) para reclamar por respostas negativas do governo federal a solicitações pelo auxílio emergencial de R$ 600.

Os usuários têm compartilhado relatos de suas situações financeiras e cobrado mais ajuda governamental. O movimento ganhou corpo com a hashtag #auxilioemergencialnegado, que no começo desta tarde chegou aos primeiros lugares nos trending topics do Twitter.

"O que eu faço agora? Com um aluguel de 750,00 reais, luz 300,00, água 100,00, 6 pessoas em casa e só eu trabalhando, sendo que foi cortado 50% do meu salário? Que 640,00 não dá nem pra pagar o aluguel pra não irmos morar na rua meu deus", tuitou uma usuária identificada como Isabela Duarte, que marcou a conta do presidente Jair Bolsonaro na postagem.

Veja também:
Senado deve votar ampliação de auxílio emergencial nesta segunda
Eleição municipal em outubro seria inviável, diz ministro Marco Aurélio Mello

Outros ainda publicam supostas postagens de empresários bem sucedidos que teriam sido beneficiados com o auxílio emergencial e de pessoas que teriam gasto o dinheiro com itens não-essenciais. "Gente pelo amor de Deus o que a gente pode fazer? Vamos se ajudar, tem gente usando esse dinheiro pra bancar CHURRASCO, FESTA. Nós temos aluguel e criança em casa!", tuitou outra usuária.

Também no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro celebrou nesta segunda-feira os números da iniciativa. Segundo ele, 18 milhões de brasileiros já foram beneficiados e R$ 12,2 bilhões já foram pagos. "Governo Federal avançando a cada dia e vamos avançar mais", escreveu Bolsonaro.

Em resposta à publicação, usuários cobraram maior agilidade do governo nas análises e pediram que o presidente dê solução aos casos de pessoas supostamente necessitadas e que foram reprovadas para receber o auxílio.

Loading...
Revisa el siguiente artículo