Pacientes com câncer reclamam de falta de médicos no Hospital Heliópolis

Por Bruna Barone - BandNews FM

Pacientes com câncer que dependem do atendimento de oncologistas no Hospital Heliópolis, na zona sul de São Paulo, reclamam da falta de médicos na unidade. Apesar do isolamento recomendado por causa do avanço do coronavírus, algumas pessoas que fazem quimioterapia, por exemplo, precisam continuar as sessões.

O problema no complexo hospitalar começou em dezembro do ano passado, depois da aposentadoria de uma oncologista responsável por consultas e encaminhamentos médicos. Essa funcionária distribuía não só receitas para a compra de medicamentos, mas também emitia os documentos necessários para quimioterapia e radioterapia na própria unidade.

Pacientes relataram à BandNews FM que, agora, há apenas uma médica gerenciando esses serviços, tentando atender quase mil pessoas por mês. A Secretaria Estadual da Saúde diz, no entanto, que a equipe de oncologia do Hospital Heliópolis tem quatro profissionais, mas que vai dobrar esse quadro ainda neste mês.

Veja também:
Quarentena em São Paulo: as 46 atividades essenciais que seguirão abertas
João Doria e secretário da Saúde testam negativo para coronavírus

Sonia Regina Safani ficou nos últimos quatro meses sem medicamentos para aliviar as dores causadas pelo câncer. Ela tem 63 anos e faz parte do grupo de risco para coronavírus, mas diz que não tem como deixar de ir ao médico no Hospital Heliópolis justamente porque precisa dos remédios.

A Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo prometeu que vai manter o serviço de todas as áreas no complexo, apesar do avanço da covid-19. Por enquanto, não há informações sobre mudanças estruturais na unidade para receber casos da nova doença.

Os cuidados diários contra o coronavírus por pacientes com câncer são os mesmos: lavar bem as mãos com água e sabão, usar álcool em gel, evitar aglomerações e manter distanciamento social.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo