Decreto de quarentena afeta mais de 220 mil comerciantes

Apenas 40% dos comércios estão preparados para entregas delivery

Por Band.com.br

Após o governador do estado de São Paulo, João Dória, decretar quarentena de 15 dias neste sábado, 21, Nei Jorge, presidente do Sindicato de Bares e Restaurantes, afirmou que já esperava a decisão.

Com o fechamento dos estabelecimentos, mais de 220 mil comerciantes serão afetados pelo decreto de quarentena, anunciado hoje pelo governador João Doria (PSDB).

Veja também:
Bombeiros suspendem buscas por vítimas de barragem de Brumadinho
Itália tem recorde de quase 800 mortes em um único dia por coronavírus

São Paulo decreta quarentena

Doria anunciou neste sábado, 21, em uma coletiva no Palácio dos Bandeirantes que decretou quarentena em todos os 645 municípios do estado de São Paulo. A determinação obriga todo o comércio e serviços não essenciais a serem fechados durante o período de 15 dias. A medida passa a valer já na próxima terça-feira, 24, e pode ser renovada, estendida ou suprimida.

Estabelecimentos que podem funcionar durante a quarentena

• Saúde
Hospitais públicos e privados, clínicas, farmácias e clínicas odontológicas

• Alimentação
Supermercados, hipermercados, padarias, açougue. Restaurantes, bares e cafés devem ser fechados e utilizarem apenas serviços de entrega (delivery).

• Abastecimento
Transportadoras, armazéns, postos de combustíveis, oficinas mecânicas, transporte público, veículos de aplicativo, bancas de jornal e petshops.

• Segurança
Todo o sistema público opera normalmente inclusive com férias e licenças suspensas

• Limpeza
Empresas de manutenção, limpeza e zeladoria públicas e privadas

• Outros
Bancos, serviços bancários e casas lotéricas também estão autorizados a funcionarem. O setor da indústria também não tem nenhuma medida restritiva. Serviços de call center, telemarketing e de entregas também podem funcionar.

Loading...
Revisa el siguiente artículo