China declara fim do pico de covid-19

Por Metro Jornal

O governo da China declarou ontem que o pico da epidemia de covid-19 foi superado e que a situação no país continua apenas com “níveis muito baixos”. De acordo com o porta-voz da NHCC (Comissão Nacional de Saúde da China), Mi Feng, a contaminação de pessoas pelo vírus despencou nas últimas semanas e está centralizada na cidade de Wuhan, na província de Hubei, onde surgiu a doença.

De quarta para quinta-feira foram contabilizados 15 novos casos, sendo que seis deles importados, e 11 mortes – das quais dez foram em Hubei. Mi Feng ainda afirmou que a prioridade absoluta do governo é a cura daqueles que estão sob cuidados médicos, bem como a manutenção dos esforços de prevenção da epidemia.

Pouco depois, o primeiro-ministro do país, Li Keqiang, admitiu que o governo não está subestimando os impactos econômicos que a epidemia está causando, mas que fará de tudo para “estabilizar” os empregos. No entanto, ressaltou que se houver uma pequena redução no crescimento chinês em 2020 isso “não será de grande importância” se o desemprego não aumentar.

Hubei divulgou medidas para apoiar o crescimento econômico local. A província expandirá ativamente sua emissão de títulos especiais este ano e visará a emissão de 30 bilhões de iuanes (cerca de R$ 20 bilhões) em títulos corporativos, informou o governo chinês. E as instituições financeiras do país serão proibidas de pedir empréstimos sem uma boa razão, a fim de proteger as empresas que buscam reviver os negócios afetados pelo surto do vírus.

Conforme dados do Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas da Universidade John Hopkins, desde o início da pandemia, em dezembro do ano passado, a China registrou 80.932 casos da doença, com 3.172 mortes confirmadas – 3.056 delas em Hubei. 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo