Mooca, Ipiranga e Sé têm mais casos de sarampo

Por Fabíola Salani, Metro Jornal

Em tempos de alerta mundial pelo novo coronavírus, não custa lembrar: esse vírus ainda não está sendo transmitido indiscriminadamente na capital, mas o que causa o sarampo, sim. Prova é que a cidade já teve 186 casos e uma morte pela doença no ano até 27 de fevereiro, segundo a Secretaria Municipal da Saúde.

No “pódio” dos registros aparecem a Mooca (zona leste), com 18 casos,  Sé (centro) e Ipiranga (zona sul), com 15 cada um (veja ao lado). Os três distritos respondem juntos por uma a cada quatro notificações da doença no ano na cidade. Uma criança sem histórico de vacinação morreu neste ano devido ao sarampo.

Esses números mostram que a doença ainda circula em São Paulo, o que reforça a importância da campanha de vacinação que vai até a próxima sexta.

Na capital, o foco são pessoas de 5 a 29 anos que não tenham tomado ainda duas doses – até agora, 21.032 receberam a vacina tríplice viral nesta campanha. A recomendação é que a pessoa vá  a uma das UBSs com a carteirinha de vacinação. A secretaria ressalta que, para a redução na incidência das doenças imunopreveníveis, o uso de vacinas e a manutenção de altas coberturas vacinais têm sido as principais medidas.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo