Coronavírus: Treinamento vai capacitar 12 laboratórios brasileiros para identificar doença

Treinamento começa hoje com especialistas de seis estados

Por Agência Brasil

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Ministério da Saúde capacitam, até sexta-feira (13), técnicos de laboratórios de oito estados para o diagnóstico laboratorial do novo coronavírus (Covid-19).

Após o treinamento, 12 laboratórios públicos de 12 estados estarão aptos para realizar o teste para a detecção do vírus. A meta, de acordo com a Fiocruz, é que, até o fim da semana que vem, as 27 unidades da federação estejam preparadas para realizar os exames.

“Essa descentralização é muito importante e ocorre em um momento em que a detecção precoce de casos em cada estado favorece que estratégias de controle sejam realizadas”, disse hoje (11), no Rio de Janeiro, a chefe do Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), Marilda Siqueira.

LEIA MAIS:
Organização Mundial de Saúde declara pandemia de coronavírus
OAB-SP: comissão quer esclarecimento de fala de Bolsonaro sobre fraude em eleição

O treinamento começa hoje (11), com especialistas do Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Bahia. Na sexta-feira, será a vez dos profissionais de Sergipe e Alagoas. Turmas do Pará, Goiás, São Paulo e Rio Grande do Sul já foram capacitadas.

A capacitação está sendo feita no Rio de Janeiro. São abordadas as seguintes questões: vigilância laboratorial, protocolo para o diagnóstico do novo coronavírus, recomendações sobre biossegurança, transporte de amostras, situação de cada estado e as perspectivas em relação à vigilância. Além disso, os especialistas discutirão montagem de protocolos, revisão e análise dos resultados.

“Temos que ter os laboratórios dos estados absolutamente capacitados para a realização dos exames e para a segurança dos diagnósticos que estão sendo realizados”, afirmou o chefe de gabinete da presidência da Fiocruz, Valcler Rangel.

Produção de testes
Além da capacitação, a Fiocruz atua também na produção de kits com insumos para os testes. Ao todo, a fundação já tem preparados 20 mil kits para testes diagnósticos do novo coronavírus.

A meta é chegar, neste momento inicial, a 30 mil kits. Os kits foram desenvolvidos pelos institutos de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz) e de Biologia Molecular do Paraná (Ibmp).

“É uma grande vantagem a gente ter essa competência de desenvolver e produzir kits de diagnóstico da Fiocruz para atender prioritariamente o Brasil porque, à medida em que chegamos a um produto útil e que está bastante adequado para essas ações iniciais, em paralelo, estamos trabalhando e tentando alguns aperfeiçoamentos para poder emprestar para os laboratórios uma capacidade operacional mais rápida”, disse o gerente de Programa de Diagnóstico do Bio-Manguinhos/Fiocruz, Antonio Ferreira.

LEIA MAIS:
Homem do Reino Unido é o segundo curado de HIV no mundo
Planos de saúde terão de cobrir exames para novo coronavírus

Segundo a Fiocruz, o Brasil está se espelhando no que está acontecendo em outros países para se preparar para uma eventual epidemia. É importante, de acordo com Marilda Siqueira, que o Brasil esteja preparado para diferenciar, nos laboratórios, o novo coronavírus de outros vírus que causam sintomas semelhantes.

“Estamos entrando na circulação do vírus influenza e outros vírus respiratórios que ocorrem todos os anos. Essa circulação ocorre de maneira maior nos estados do Sul e Sudeste do Brasil. Portanto, o diagnóstico vem em momento importante uma vez que, clinicamente, vários desses vírus respiratórios causam nos pacientes sintomas parecidos”, explicou.

Treinamentos
Este é o terceiro treinamento realizado pela Fiocruz. O primeiro foi feito com especialistas dos Institutos Adolfo Lutz, de São Paulo, e Evandro Chagas, do Pará, além de técnicos dos Laboratórios Centrais de Saúde Pública de Goiás e Rio Grande do Sul.

A segunda capacitação abrangeu profissionais de nove países da América Latina – Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai.

De acordo com os últimos dados do Ministério da Saúde, divulgados na tarde de ontem (10), o Brasil tem 34 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, sendo seis por transmissão local, cinco deles em São Paulo e um na Bahia, além de 28 casos importados. Atualmente, são monitorados 893 casos suspeitos e outros 780 já foram descartados.

Os sintomas principais do novo coronavírus são febre, coriza, tosse e falta de ar. Para prevenir o contágio, o Ministério da Saúde pede que a população lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel; que cubra o nariz e a boca ao respirar ou tossir; que evite aglomerações se estiver doente; que mantenha os ambientes bem ventilados; e que não compartilhe objetos pessoais.

Loading...
Revisa el siguiente artículo