Países fecham locais públicos e soltam detentos para combater coronavírus

Veja como o mundo tem reagido à epidemia do COVID-19

Por Estadão Conteúdo

O governo da Itália determinou o fechamento de seus museus, teatros, cinemas, salas de concerto, bares, salas de jogos, escolas de dança, discotecas e outros locais semelhantes em todo o país, até 3 de abril, para combater a disseminação do coronavírus. De acordo com um decreto assinado neste domingo, 8, o país colocou cerca de 16 milhões de pessoas sob quarentena.

Apesar de ser o país com maior letalidade por coronavírus na Europa e o segundo do mundo, atrás apenas da China, a Itália não é o único território que tem tomado medidas consideradas drásticas em outro contexto para evitar a disseminação da doença Confira, abaixo, algumas regiões que também impuseram isolamentos, suspensões e até liberaram a população carcerária:

Irã
Cerca de 70.000 detentos do Irã foram liberados nesta segunda-feira, 9, após a epidemia de coronavírus no país. "A liberação de prisioneiros, até o ponto em que não crie insegurança na sociedade vai continuar", afirmou Ebrahim Raisi, chefe do judiciário iraniano. Ele ainda não especificou quando ou se os presos terão que retornar ao sistema carcerário.

EUA
Na manhã desta segunda-feira, as Universidades de Stanford e de Columbia cancelaram suas aulas presenciais por medo de contaminação do coronavírus, enquanto escolas de Los Angeles a Nova York também fecharam os portões até 18 de março. No ensino superior, os cursos passarão a ser ministrados online, pelo menos ao longo das próximas semanas.

LEIA MAIS:
USP abre 15 mil vagas em cursos gratuitos para alunos de escola pública
Bolsonaro passará por ‘última’ cirurgia em breve

Portugal
Marcelo Rebelo de Sousa, presidente de Portugal, afirmou no domingo, 8, que se colocou em uma "quarentena voluntária" e cancelou todas as suas atividades públicas, em meio ao surto de coronavírus na Europa. O presidente recebeu alunos de uma escola que foi fechada por causa de um estudante infectado e, mesmo não apresentando sintomas, o líder decidiu "dar exemplo de tomada de medidas preventivas enquanto trabalhava de casa".

Nesta segunda-feira, tanto a Universidade do Porto quanto a do Minho suspenderam suas aulas, após alunos de ambas as instituições serem diagnosticados com o novo coronavírus.

França
Reunião com mais de mil pessoas foram proibidas na França, o que gerou um efeito cascata de cancelamentos e adiamentos em várias regiões. O Museu do Louvre, por exemplo, restringiu o acesso de visitantes na manhã desta segunda, em adição às escolas que já estavam fechadas para sanitização em algumas regiões do país.

Grécia
A Grécia proibiu eventos esportivos com espectadores e visitas escolares por duas semanas consecutivas. A medida foi tomada após o número de casos de coronavírus no país aumentar dez vezes, de sete para 73.

Alemanha
O ministro de Saúde da Alemanha, Jens Spahn, pediu no domingo, o cancelamento de todas as manifestações com mais de mil pessoas no país, diante da propagação da epidemia de coronavírus. O pedido foi feito frente as caminhadas pelo Dia Internacional da Mulher.

Vaticano
No domingo, 8, o papa Francisco fez sua tradicional missa por vídeo. A ação foi para conter a multidão que sempre acompanha a celebração na Praça de São Pedro, no Vaticano. "Estou em oração com as pessoas que sofrem com a atual epidemia de coronavírus", disse o pontífice, de 83 anos, em mensagem gravada na biblioteca do Vaticano. Havia uma pequena multidão na praça e o Papa apareceu brevemente para cumprimentá-las.

China
Mais de 50 milhões de pessoas estão isoladas na província de Hubei por conta do isolamento sanitário imposto desde janeiro. Em todo o país, quarentenas foram aplicadas de formas mais ou menos drásticas, chegando até a proibição de sair. Em Pequim, turistas dos países que foram "gravemente afetados" pela doença são colocados em quarentena compulsória de 14 dias. A medida foi estabelecida em 26 de fevereiro.

LEIA MAIS:
Morre sétima vítima de cerveja contaminada da Backer
Coronavírus: por precaução, tocha olímpica será acesa sem plateia

Vietnã
A província de Son Loi, e seus 10.000 habitantes, está passando por 20 dias de quarentena, enquanto o país já registra seis casos de infecção pela doença.

Coreia do Norte
Um total de 3.650 pessoas que estavam em quarentena nas províncias de Kangwon e Chagang voltaram à vida normal no último dia 5. Desde o início de fevereiro, 380 residentes estavam em quarentena domiciliar. O país também havia suspendido as conexões aéreas e ferroviárias com o exterior, além de ter barrado a entrada de turistas na região.

Hong Kong
O país impôs uma quarentena de duas semanas a todo turista que chegue da China continental. Quem não respeitar a medida pode ser condenado a até seis meses de encarceramento.

Voos
O governo das Ilhas Marshall proibiu temporariamente o desembarque de pessoas que viagem em voos internacionais. Depois de impor bloqueio temporário em uma região produtora de petróleo para conter a transmissão do novo coronavírus, o governo da Arábia Saudita também suspendeu viagens para nove países.

A companhia aérea marroquina Royal Air Maroc informou neste domingo que suspendeu os voos para Veneza e Milão, na Itália, enquanto a Iran Air suspendeu todos os voos de e para a Europa até novo aviso, informou a agência de notícias Isna.

O Kuwait também suspendeu todos os voos de e para o Egito, Líbano, Síria, Bangladesh, Filipinas, Índia e Sri Lanka. A medida foi tomada no último sábado e se estende por uma semana. (Com agências internacionais).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo