Bienal de Arquitetura de Veneza é adiada por conta do coronavírus

Por Estadão Conteúdo

A Bienal de Arquitetura de Veneza, considerada o maior evento mundial do setor e que estava prevista para maio, será adiada para agosto, devido à epidemia de coronavírus no norte de Itália, anunciaram nesta quarta-feira, 4, os organizadores do encontro. O evento, realizado a cada dois anos desde 1980, será agora de 29 de agosto a 29 de novembro, informou a Bienal de Veneza.

Leia mais:
Governo reconhece situação de emergência na Baixada; mortes chegam a 27 e, desaparecidos, a 43

"As novas datas para a Bienal de Arquitetura foram estabelecidas como resultado das recentes medidas preventivas de mobilidade adotadas pelos governos de um número crescente de países ao redor do mundo, que terão um efeito dominó no movimento de pessoas e no trabalho nas próximas semanas", indica o comunicado da organização.

A edição ficará aberta por apenas três meses, em vez de seis, como é tradição. A 17ª edição da Bienal, que paradoxalmente chama-se "Como vamos viver juntos?", terá curadoria do arquiteto libanês Hashim Sarkis e contará com a participação de representantes de 63 países, com uma programação que terá palestras e workshops com convidados de todo o mundo.

A nova edição será aberta quase ao mesmo tempo que o festival de cinema de Veneza, programado para 2 de setembro, uma situação sem precedentes que desperta interesse cultural.

Outros eventos culturais europeus importantes, incluindo a Feira do Livro de Londres e a Feira do Livro de Paris, foram cancelados devido ao surto de coronavírus na Europa.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo