Coronavírus: Adolescente de 13 anos é quarto paciente identificado no Brasil; falta contraprova

Por Estadão Conteúdo

O Ministério da Saúde e as Secretarias de Saúde de São Paulo (estadual e municipal) confirmaram nesta quarta-feira, 4, um terceiro caso importado do novo coronavírus no Brasil. Além desse, as autoridades investigam outro possível caso confirmado de coronavírus na capital paulista. Exames de contraprova estão sendo realizados para confirmar a amostra do possível caso. Acompanhe atualizações em tempo real.

LEIA MAIS:
Coronavírus: terceiro caso em São Paulo é confirmado

O terceiro paciente confirmado com a doença é um administrador de empresas colombiano de 46 anos que vive na cidade de São Paulo e que viajou ao exterior ao longo do mês de fevereiro. Ele viajou para a Espanha no dia 9 de fevereiro e desde então passou pela Itália, Áustria e Alemanha, antes de retornar à capital paulista no dia 29 de fevereiro. Com tosse, dor de garganta e cabeça, ele procurou o Hospital Israelita Albert Einstein nesta quarta-feira, 4, onde o teste foi realizado e a confirmação ocorreu.

O ministério informou também que monitora 531 casos considerados suspeitos. Outros 314 casos já foram descartados. A pasta acrescentou que a lista de países monitorados chegou a 31. Os Estados com mais casos suspeitos são São Paulo (135), Rio Grande do Sul (98), Minas Gerais (82) e Rio de Janeiro (55), segundo dados compilados até 17h15.

4º caso
Uma adolescente de 13 anos pode ser o quarto caso de coronavírus Ela esteve em Milão, na Itália, no dia 22 de fevereiro. Na região das Dolomitas, nos Alpes Italianos, ela se submeteu a uma cirurgia no joelho em um hospital local. Mesmo sem apresentar sintomas, quando regressou ela foi testada em São Paulo, onde um laboratório privado confirmou o caso. A amostra está passando por uma contraprova no Instituto Adolf Lutz para verificar e confirmar definitivamente o caso.

Os outros dois casos confirmados no Brasil anteriormente também foram de pessoas que tinham viajado à Itália, onde o surto está avançando rapidamente. Os três casos confirmados e a jovem monitorada estão em isolamento domiciliar, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Nos dois primeiros pacientes, não há relato de problemas de saúde ou complicações decorrentes da doença nem foram registrados sinais e sintomas nas pessoas que convivem com eles

Apesar do caso suspeito assintomático, Mandetta afirmou que a rede pública seguirá avaliando para novo coronavírus apenas pessoas que têm sinais da doença. "Ela fez uma coleta fora da curva. Para saúde pública, a gente continua somente com casos suspeitos quem tem sintoma. A gente não vai fazer exame, uma loteria, com todo mundo que chega para ver se tem a doença", afirmou o ministro.

Segundo Mandetta, a recomendação é seguir o "bom senso" para buscar um serviço de saúde. "Pela lei do bom senso, recomenda-se para pessoas que vão a locais de transmissão intensa". O ministro voltou a recomendar que não sejam feitas viagens desnecessárias a países em alerta, ainda que não haja orientação formal do governo.

Mandetta disse ao BRPolítico mais cedo que o teste da adolescente foi feito no laboratório Fleury, que ainda não está entre os credenciados pelo governo federal para este tipo de análise. Assim, será necessária uma contraprova, segundo o ministro.

90 mil casos confirmados no mundo
Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), apresentados pelo ministério, há 90.870 casos confirmados de novo coronavírus no mundo, sendo 1.922 novos. Há 72 países com pessoas infectadas. A OMS registra 3.112 óbitos pela doença, sendo 1.792 novos. A China concentra 80.304 casos do novo coronavírus e 2.946 óbitos.

Loading...
Revisa el siguiente artículo