MPF abre procedimento para acompanhar cobrança de bagagem de mão por empresas low cost

Por Wellington Botelho

O Ministério Público Federal abriu procedimento administrativo para investigar a suposta cobrança de bagagem de mão por companhias aéreas que operam no Brasil.

"Conforme noticiado, algumas empresas low cost teriam decidido limitar a bagagem de mão franqueada de até 10 kg apenas àquelas que puderem ser dispostas abaixo das poltronas dos passageiros, cobrando pelo envio das demais", informou.

De acordo com o MPF, a imposição é abusiva, uma vez que obrigaria grande parte dos passageiros a pagar pelo espaço no compartimento de bagagem localizado acima dos assentos.

Para a instituição, a utilização do espaço abaixo dos assentos também pode comprometer a segurança do voo. Além disso, a medida afeta o conforto dos passageiros.

Baixo custo

O MPF enviou recentemente ofício à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) solicitando informações e providências sobre essa cobrança.

Com informações do MPF

LEIA TAMBÉM: 

Loading...
Revisa el siguiente artículo