6 de cada 10 veículos roubados em São Paulo não são recuperados

Por Guilherme Oliveira, Rádio Bandeirantes, com Metro Jornal

No ano passado, 62% dos veículos roubados ou furtados na cidade de São Paulo não foram recuperados pela polícia, segundo dados da própria SSP (Secretaria de Segurança Pública).

Os números mostram que, de 58.560 veículos furtados ou roubados no ano passado na capital, foram recuperados somente 22.218. Isso significa, por outro lado, que 36.342 veículos levados por criminosos em 2019 não voltaram aos seus proprietários.

O total de furtos e roubos vem diminuindo gradativamente, ano a ano, na capital. No entanto,  a eficiência com a recuperação dos automóveis não tem acompanhado essa tendência.

Nos últimos quatro anos, cerca de 175 mil veículos não foram recuperados, de  283,6 levados –a média desse período ficou em 62%.

O delegado Alberto Pereira, divisionário da Divecar (Divisão de Investigações sobre furtos, roubos e receptações de Veículos e Cargas), do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), disse que essa diferença se dá pela agilidade dos bandidos. “As quadrilhas vêm se especializando e, com isso, acabam burlando o sistema de segurança dos veículos.”

Segundo Pereira, os integrantes das quadrilhas estudam esses sistemas e conseguem encontrar brechas que facilitam na hora de executar o roubo ou o furto.

O divisionário da Divecar avaliou que o número expressivo de roubos e furtos se deve ao comércio ilegal de peças e alertou: comprar uma peça sem procedência pode dar dor de cabeça ou coisa pior. “Quando você compra uma peça [de veículo], se for detectado que ela é produto de roubo ou de furto, você também comete um crime e vai responder por receptação. Quando deixa de comprar essa peça,  inibe a prática do crime.”

Em 2014, o estado de São Paulo criou a Lei dos Desmanches, com o intuito de combater esse comércio ilegal. Para a Secretaria de Segurança Pública, essa lei é uma importante ferramenta para a redução desse tipo de crime, por  enfrentar não somente a ocorrência em si, mas combater também o comércio ilegal de peças automotivas. Devido a essa legislação, segundo a pasta, entre 2016 e 2019 houve 2.091 locais vistoriados e 158 fechados na capital.

A pasta informou que as polícias Civil e Militar realizam operações constantes para combater os roubos e furtos de veículo na capital, como a “Desmonte”, realizada pela Divecar.

Pior no ABC

No ABC, a taxa de recuperação de veículos roubados ou furtados é ainda pior do que na capital. Na média, entre 2017 e 2019, 7 de cada 10  veículos levados por criminosos não voltaram a seus proprietários nas cidades de Santo André, São Bernardo e São Caetano.

A porcentagem de veículos recuperados nessas três cidades em conjunto diminuiu nos últimos três anos: foi 32,5% em 2017, 31,1% em 2018 e 28,3% em 2019. Na média, ficou em 30,7% nesse período.

A SSP destacou, em nota, que a Divecar fiscalizou 337 desmanches na Grande São Paulo entre 2017 e 2019 e lacrou 15 deles.

Loading...
Revisa el siguiente artículo