Dólar vai a R$ 4,35 e bate novo recorde

Por Metro Jornal

O dólar avançou nesta quarta-feira 0,56%, a R$ 4,3506 na venda, maior valor nominal para um encerramento de sessão. No ano de 2020, a divisa americana acumula alta de 8,4% ante o real, que tem o pior desempenho entre 33 moedas – incluindo o rand sul-africano (-5,8%) e o peso argentino (-2,4%).

Para turistas, o dólar era vendido, por volta das 19h, de R$ 4,79 a R$ 4,81 no cartão pré-pago, segundo o site Melhor Câmbio. Em espécie, a moeda saía entre R$ 4,56 e R$ 4,59. Os valores incluem o IOF ( Imposto sobre Operações Financeiras).

Dados do varejo indicam que a economia brasileira ainda não engrenou.  Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), as vendas do comércio caíram 0,1% em dezembro ante novembro, resultado que ficou abaixo da mediana das estimativas do mercado, que previa alta 0,20%.

“A primeira leitura decepciona e acredito que isso deve realimentar a discussão no mercado de que o Banco Central deve cortar novamente a Selic, uma vez que a atividade não engata e a inflação permanece sob controle”, disse o economista-chefe da Necton Investimentos, André Perfeito.

Já o Ibovespa, principal índice da B3, subiu 1,13%, a 116.674,13 pontos, seguindo o otimismo no exterior com a notícia de que o coronavírus pode estar perdendo força. Nos EUA, as bolsas bateram recordes históricos. O Dow Jones avançou 0,94%, a 29.551 pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 0,646266%, a 3.379 pontos. O Nasdaq teve alta de 0,9%, a 9.726 pontos.

“Parece que o apetite pelo risco chegou para ficar, à medida que cresce o otimismo de que o coronavírus, o Covid-19, está mostrando sinais de desaceleração e que o Fed [banco central dos EUA] fará outro corte nas taxas neste verão”, avalia Edward Moya, analista da Oanda em Nova York.

Loading...
Revisa el siguiente artículo