Mães reclamam de falta de vagas no ensino fundamental no extremo sul de São Paulo

Por Metro Jornal

Mães denunciam falta de vagas para alunos do 1º ano em escolas da rede pública na região da represa Billings, na zona sul de São Paulo.

A procura aumentou depois da construção de um conjunto habitacional no Jardim Apurá, que deve receber quase 4 mil famílias no empreendimento. Essas famílias, segundo a Prefeitura de São Paulo, estavam em áreas de risco.

As duas escolas de educação infantil e ensino fundamental prometidas em 2015 para os novos moradores ainda não foram entregues e não tem prazo para serem concluídas. No fim de janeiro, a Diretoria Regional de Ensino de Santo Amaro comunicou os pais de que as matrículas serão feitas temporariamente no CEU Alvarenga a partir do dia 17 de fevereiro.

Veja também:
Viaduto Alcântara Machado fecha novamente para obras neste fim de semana
Bolsonaro sanciona lei para medidas emergenciais contra o novo coronavírus

A EMEF Pedreira, prometida para atendê-los, ainda passa por obras – mas não em um prédio novo, e sim em uma casa alugada, adaptada para receber aulas. A estratégia já tinha sido usada no ano passado para receber bebês de 0 a 3 anos, segundo a moradora e conselheira de pais e mães da região, Fernanda Machado.

Procurada, a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo respondeu que todos os alunos citados serão realocados o mais breve possível nas unidades da região. O órgão acrescentou que não há qualquer fila para o ensino fundamental na cidade e que a movimentação de novas matrículas é comum durante o início do ano letivo.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo