Carnaval em São Paulo: site para cadastro de ambulantes tem problemas

Por Metro Jornal

Quem procura se inscrever como ambulante para vender bebidas alcoólicas no Carnaval de rua de São Paulo desde a manhã desta quinta-feira (6) encontra muita dificuldade. O site apresenta instabilidades pelo alto número de acessos, com diversas mensagens de erro diferentes aparecendo aos usuários.

O cadastramento abriu às 10h e oferece 12 mil vagas para atuação nas diferentes regiões da capital. Quando a página finalmente carrega e o interessado aceita os termos para iniciar a inscrição, há ainda uma contagem regressiva de 10 minutos "devido a grande quantidade de acessos". Outra mensagem de erro comum é "estamos fazendo alguns ajustes. Fique por aqui, o site reabrirá em minutos."

Veja também:
Operação investiga desvio de R$ 50 milhões em ministério extinto
Aves de Rapina: Arlequina retorna à tela grande como protagonista

Há semanas, grupos de WhatsApp com cerca de 300 membros foram criados como um canal de comunicação entre vendedores ambulantes para conseguir informações sobre o início do processo, de responsabilidade da Ambev. Neste período, o Metro Jornal recebeu diversos contatos por e-mail e nas redes sociais perguntando sobre o cadastramento, divulgados apenas na quarta-feira (5).

A autônoma Margarete Ramiro busca a terceira credencial para trabalhar legalmente no evento e, quase cinco horas após o início das inscrições, ainda não garantiu sua vaga. "Ano retrasado foi mais tranquilo, ano passado dificultou mais. Esse ano deve ser o mais difícil. A gente só quer trabalhar", afirmou.

A Secretaria de Cultura afirmou que o site é de responsabilidade da Ambev, que contrata a empresa Dream Factory para realização do serviço. O Metro Jornal questionou a Ambev e a Dream Factory sobre a instabilidade do site e aguarda posicionamento, que será divulgado nesta reportagem.

Loading...
Revisa el siguiente artículo