Já são cinco presos por morte da família encontrada carbonizada em São Bernardo

Por Metro Jornal

Após o depoimento do terceiro preso suspeito de participar do assassinato do casal e filho encontrados carbonizados na semana passada, em São Bernardo, mais dois possíveis participantes do crime também tiveram prisão decretada.

Juliano de Oliveira Ramos Júnior foi levado para delegacia na noite de anteontem, confessou os assassinatos e acusou Michael Robert dos Anjos –preso temporariamente– e Guilherme da Silva – preso em flagrante por porte ilegal de arma e por estar com uma televisão e um videogame que pertenciam à família– de participar do esquema.

O sexto participante apontado por Juliano teria ajudado na fuga após o grupo colocar fogo no carro, mas ainda não foi encontrado. Em seu depoimento, o suspeito ainda afirmou que sua prima, Carina Ramos, e a namorada e filha do casal, Ana Flávia Menezes Gonçalves, consentiram as mortes (ambas já estavam em prisão temporária).

De acordo com o relato  do primo de Carina, o grupo planejou um roubo na casa da família após receber a informação de que eles tinham R$ 85 mil guardados em um cofre. Carina e Ana teriam facilitado a entrada dos três no condomínio para a realização do assalto.

Depois da abordagem, Romuyuki Gonçalves e o filho, Juan Victor, 16 anos, foram torturados por não saber a senha do cofre. O grupo resolveu esperar a chegada da mãe, Flaviana Guimarães, que sabia a senha, mas, ao abrir o cofre, não tinha dinheiro. Foi então que, segundo depoimento, Carina e Ana Flávia concordaram em matá-los.

Romuyuki e Juan foram mortos asfixiados ainda em casa. Flaviana foi vendada,  amarrada no banco de trás do carro e levada por Carina –que se disfarçou vestindo as roupas de Flaviana– até a estrada onde a mataram e atearam fogo no veículo.

A polícia ainda investiga a motivação do crime e desconfia da possibilidade de as mortes terem sido encomendadas desde o princípio para que Ana Flávia recebesse a herança.  

Loading...
Revisa el siguiente artículo