Aeronaves da FAB decolam com destino à China para buscar brasileiros

Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil

Já estão a caminho de Wuhan, na China, as duas aeronaves da FAB (Força Aérea Brasileira) que trarão, de volta ao Brasil, as 34 pessoas (brasileiros e parentes) que se encontram na cidade epicentro do surto de coronavírus.

As aeronaves VC-2 – uma delas destinada ao transporte presidencial – deixaram o solo brasileiro por volta das 12h22 e, antes de chegar à cidade destino, farão escala em Fortaleza (CE), Las Palmas (Espanha), Varsóvia (Polônia) e Ürümqi (já na China). No retorno, as aeronaves passarão pelas mesmas cidades.

Veja também:
Número de mortes pelo coronavírus chega a 490 na China
Brasil investiga 13 casos suspeitos de infecção por coronavírus

"As pessoas que vão embarcar na China estão sadias e sem evidência da doença. Na chegada ao Brasil, serão feitos exames para identificar quaisquer problemas", disse o responsável pela missão, brigadeiro Damasceno.

Cada avião sai do Brasil com 18 tripulantes, desses sete são da área de saúde (seis médicos militares e um ligado ao Ministério da Saúde).

A previsão é de que as aeronaves levem 62 horas no processo de ida e volta, sendo 47 horas de voo. Com isso, a chegada na China está prevista para o final do dia 6 (horário de Brasília). A chegada ao Brasil está prevista para sábado, dia 8.

Quando chegarem ao Brasil, todos os resgatados, bem como a tripulação de militares e o cinegrafista da EBC (Empresa Brasil de Comunicação) que estarão a bordo, passarão por uma quarentena de 18 dias na cidade de Anápolis (GO), seguindo protocolos e instruções oficiais visando a segurança de todos envolvidos. Os cidadãos isolados terão tratamento gratuito e o direito de serem informados permanentemente sobre seu estado de saúde.

Entre os integrantes da equipe a bordo estão profissionais capacitadas para missões de defesa química, biológicas, radiológicas e nucleares.

Emergência global

No dia 30 de janeiro, a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou o surto de coronavírus como emergência em saúde pública de importância internacional. Quase 500 pessoas já morreram na China e 20 mil foram infectadas pelo novo vírus. No Brasil, 13 pacientes são monitorados por suspeita de terem sido infectados, até agora nenhum caso foi confirmado.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo