Drone vai ajudar na segurança do Carnaval em São Paulo

Por Metro Jornal

O que promete ser o “maior Carnaval do Brasil” deve contar com monitoramento por drones com câmeras que ajudarão no esquema especial de segurança feito nos bloquinhos de rua. A medida, em conjunto com reforço de policiais nas áreas de festa, busca identificar crimes como furtos, muito comuns nesta época.

O chefe da seção operacional do Comando de Policiamento da capital, Osmário da Silva, afirmou, em entrevista à Bandnews FM, que a Polícia Militar –junto com a gestão municipal– não descartou a antecipação do final dos horários dos bloquinhos, para coordenar melhor e evitar tumultos.

Zona oeste

O largo da Batata, que foi um dos destinos preferidos dos foliões nos dois últimos Carnavais, terá restrições neste ano. Seu acesso terá bloqueios durante os oito dias da programação oficial dos bloquinhos de rua. Na Vila Madalena, como de costume, essa restrição vale para o quadrilátero formado pelas ruas Wisard, Girassol, Inácio Pereira da Rocha, Morás e  Simão Álvares.

Com as interdições, a circulação de pessoas em ambas as zonas fica impedida entre 20h e 22h (nos dias das festas oficiais).

Além disso, os bares que estiverem nessas regiões também terão que fechar até as 22h nos dias das comemorações.

Os bloqueios nessas ZAEs (Zonas de Atenção Especial) –tanto no largo da Batata quanto na Vila Madalena–  serão monitorados pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

A decisão foi publicada no último sábado na portaria da Subprefeitura de Pinheiros, e visa diminuir a quantidade de tumultos e arrastões na região, principalmente no largo da Batata, que teve muitos casos no  Carnaval do ano passado.

São esperados 796 bloquinhos na festa deste ano na capital.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo