Segunda foi o dia mais quente do verão na cidade de São Paulo

Por João Barbosa - BandNews FM

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) aponta que a tarde de segunda-feira (27) foi a mais quente do ano e também de todo o verão na cidade de São Paulo. A temperatura máxima média da cidade foi de 33,6ºC.

As altas temperaturas acendem o alerta para os casos de desidratação. Em São Paulo, treze pessoas são internadas por dia com os sintomas. Um levantamento feito pela Secretaria de Estado da Saúde indicam que, só no 1º trimestre de 2019, foram 1.286 internações.

A desidratação ocorre quando falta água e sais minerais no corpo, elementos essenciais para o funcionamento de todo o organismo. O clínico geral Alfredo Salim Helito explica que, além da falta de líquidos, o problema pode ser causado por doenças da época como diarreia e vômito, além da transpiração excessiva.

Veja também:
Drone vai ajudar na segurança do Carnaval em São Paulo
Minas Gerais tem 101 cidades em emergência após fortes chuvas

Os pacientes idosos representam 43% do total de casos de desidratação em São Paulo. Isso ocorre porque a absorção de água diminui à medida em que as pessoas vão envelhecendo. Helito orienta que os familiares devem acompanhar a hidratação dos idosos, já que eles não sentem tanta sede.

Já para quem pratica atividade física, a orientação para os dias mais quentes é beber bastante água. A treinadora esportiva Camila Hirsch explica que é necessário estar hidratado antes, durante e depois dos exercícios. Para que o corpo permaneça hidratado, é necessário tomar entre 2 e 3 litros de água por dia.

Outro fator de risco é a exposição ao sol prolongada no verão, principalmente entre 9h e 16h.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo