Celular de marido de Flordelis esteve na casa de senador após assassinato

Por Metro Jornal

O celular do pastor Anderson do Carmo foi ativado na casa de um senador do PSD, horas após o assassinato. A informação foi descoberta pela Polícia Civil no Rio de Janeiro.

LEIA MAIS:
Avaliação de Bolsonaro melhorou no último mês, diz pesquisa CNT
São Paulo gastou R$ 1,7 bilhão para despoluir rio Tietê desde 2011

Anderson, marido da deputada Flordelis, também do PSD, foi assassinado em junho de 2019. Um inquérito na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo investiga a morte.

O celular do pastor desapareceu após o crime. Segundo a polícia, o aparelho foi ativado com um chip registrado em nome de Yvelise de Oliveira, esposa do senador Arolde de Oliveira. O celular ainda foi conectado ao wi-fi da casa do senador horas após a morte de Anderson.

Além de colega de partido de Flordelis, Arolde também fundou uma gravadora de discos gospel chamada Grupo MK, hoje presidido por Yvelise, sua esposa. A deputada federal Flordelis conseguiu sua fama, inicialmente, por sua carreira na música religiosa.

Hoje, respondem pelo assassinato de Anderson dois de seus filhos adotados junto a Flordelis. Flávio dos Santos Rodrigues, Lucas dos Santos e a própria deputada são investigados.

Em fala ao jornal O Globo, o senador Arolde de Oliveira se disse perplexo, e suspeita de clonagem de chip. "Cabe o ônus da prova a quem acusa. Nunca imaginei um ataque desta natureza. Deus é maior que isso tudo", falou. "Yvelise está tão perplexa quanto eu estou, e estamos achando que pode ter sido uma clonagem. Amanhã (quarta-feira) vou ver o que eu faço. Quem não deve, não teme".

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo