Netflix recorre ao STF para anular decisão que tira do ar especial do Porta dos Fundos

Por Metro Jornal

Após a decisão do desembargador que retirou do ar o especial de Natal da produtora Porta dos Fundos, feita nesta quarta-feira (8), a Netflix recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para reverter a situação. A informação é do portal G1.

Atendendo ao pedido de uma associação de católicos, Benedicto Abicair, da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, determinou a suspensão do vídeo "A Primeira Tentação de Cristo", buscando, em suas palavras, "acalmar ânimos".

A plataforma de streaming que colocou o especial no ar, a Netflix, chama a decisão de uma tentativa de censura. Segundo a empresa, "a decisão proferida pelo TJ-RJ tem efeito equivalente ao da bomba utilizada no atentado terrorista à sede do Porta dos Fundos: silencia por meio do medo e da intimidação".

Na ação movida pela Netflix ao STF, o streaming questiona a constitucionalidade da decisão de Abicair. "Tal ingerência judicial sobre o conteúdo cinematográfico equivale, ainda, a verdadeira censura ampla e geral", diz a empresa, que afirma que a suspensão do especial não possui "qualquer previsão constitucional, em subversão ao regime de liberdade de expressão e manifestação artística".

A retirada do vídeo havia sido negada por um desembargador em primeira instância. Em 24 de dezembro, a sede da produtora foi atacada por um grupo que carregava coquetéis molotov.

O atentado não deixou feridos. Na noite do incidente, apenas um porteiro estava presente no prédio.

O único acusado até o momento, Eduardo Fauzi, está foragido.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo