Irã ataca bases dos EUA no Iraque

Por Metro Jornal

As bases aéreas de Ain al Assad e Erbil, que abrigam soldados norte-americanos e de tropas aliadas no Iraque, foram atingidas por 12 mísseis balísticos terra-terra à 1h20 de hoje (19h20 de ontem em Brasília). A Guarda Revolucionária do Irã assumiu a autoria do ataque, chamado de operação Mártir Suleimani – nome do general iraniano Qassim Suleimani, morto na última sexta-feira após um ataque de drone dos EUA, também no Iraque. Desde então, o Irã tem ameaçado dar uma resposta à altura para a morte de seu principal líder militar.

“O presidente foi informado e está monitorando a situação de perto e consultando sua equipe de segurança nacional”, disse a Casa Branca em comunicado. Em suas primeiras reações, o Pentágono informou que avaliaria os possíveis danos e tomaria todas as medidas necessárias para proteger os norte-americanos e seus aliados na região.

Mas a Guarda Revolucionária alertou que se ataques dos EUA forem lançados contra o Irã a partir de bases localizadas em países vizinhos, estes serão alvo de retaliações militares.

Horas antes do ataque, ao menos 56 pessoas (35 homens e 21 mulheres) morreram e outras 213 ficaram feridas durante um tumulto no funeral do general Suleimani, em Kerman (Irã), sua cidade natal, onde será enterrado após quatro dias de homenagens.

O tumulto ocorreu enquanto a procissão estava em andamento. O tom da multidão e daqueles que discursavam era uníssono em um pedido de vingança pela morte de Suleimani. Não se sabe o que ocasionou a confusão, mas imagens de canais de televisão locais mostravam muitas pessoas no chão. O funeral do militar foi adiado. Imagens da confusão estão nas redes sociais.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo