4 questões internacionais que vão dar o que falar em 2020

Por Ansa

Após um ano de 2019 marcado por tensões comerciais e disputas políticas temperadas pelo nacionalismo, 2020 já começa com a perspectiva de turbulências no cenário internacional, mas também com a expectativa por uma nova edição dos Jogos Olímpicos. Veja abaixo alguns fatos que devem ser assunto ao longo dos próximos meses.

Impeachment e eleições
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, inicia 2020 acusado de abuso de poder e obstrução do Congresso pela Câmara dos Representantes, dominada pelo Partido Democrata, e será julgado em breve pelo Senado, de maioria republicana.

Se for condenado, algo bastante improvável neste momento, Trump se tornará o primeiro chefe de Estado americano deposto por um processo de impeachment – Richard Nixon renunciou antes de ser cassado.

A expectativa é de que o julgamento aconteça ainda em janeiro, às vésperas das primárias democratas para a Presidência, que começam em 3 de fevereiro. Apesar de não ostentar altos índices de popularidade, Trump consolidou o apoio dos republicanos e deve entrar na corrida eleitoral como favorito, embora os perfis dos pré-candidatos de oposição sejam muito diferentes um do outro.

O moderado Joe Biden é o principal postulante a desafiar o presidente, mas os esquerdistas Bernie Sanders e Elizabeth Warren ameaçam o favoritismo do ex-vice de Obama.

Guerra comercial
Ainda em janeiro, Trump deve assinar a primeira fase do acordo comercial com a China, que provocou uma trégua na guerra tarifária entre as duas maiores economias do planeta.

Mas as tratativas prosseguirão na sequência para a fase dois, e os EUA ainda têm disputas abertas com a União Europeia e podem recorrer a sobretaxas alfandegárias contra países que aderirem ao 5G chinês.

Brexit
Após dois anos e meio de negociações e reviravoltas, a saída do Reino Unido da União Europeia finalmente parece ser irreversível. O Brexit está marcado para 31 de janeiro de 2020, quando iniciará um período de transição válido até o fim do ano. Enquanto isso, Londres e Bruxelas negociarão os termos de sua relação futura e um possível acordo comercial.

Olimpíadas
Quatro anos depois do Rio de Janeiro, é a vez de Tóquio sediar os Jogos Olímpicos de Verão, que acontecem de 24 de julho a 9 de agosto e reunirão cerca de 11 mil atletas. Uma das maiores potências esportivas do mundo, a Rússia, está banida das Olimpíadas por causa de um escândalo de doping patrocinado pelo Estado, e atletas do país só poderão competir sob bandeira neutra – e se provarem que estão "limpos".

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo