Estudo mostra mais ciclistas na rua Líbero Badaró e na avenida Paulista

Por Metro Jornal

É cada vez mais comum ver bicicletas trafegando na cidade. Mas de quanto foi o crescimento? Um levantamento divulgado na quarta-feira (18) dá uma pista: 65% no tráfego de bikes na rua Líbero Badaró – onde há ciclofaixa – e 51% na avenida Paulista, que tem uma ciclovia no canteiro central, neste ano em relação ao ano passado.

A pesquisa foi feita pela Ciclocidade (Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo) a pedido da Tembici, que administra serviço de locação de bikes na cidade.

Veja também:
R$ 239 bilhões: Alesp aprova Orçamento do Estado de São Paulo para 2020
Eleições 2020: prazo para biometria em 479 municípios de SP termina nesta quinta

Na rua Líbero Badaró, na República (centro), na intersecção com o viaduto do Chá e a praça do Patriarca, o estudo contou 1.609 ciclistas durante 14 horas no dia 3, número 65% maior do que o registrado no mesmo período de 2018.

Na avenida Paulista, no dia 27 do mês passado, onde foi contabilizada a circulação de 3.204 ciclistas, número 51% maior que o do mesmo período de 2018.

O levantamento mostrou, ainda, que em 2010, quando foi realizado o primeiro estudo semelhante na República, 20% dos ciclistas pedalavam na contramão na região. Neste ano, o percentual caiu para 1%. A queda também foi sentida no número de ciclistas que trafegavam em calçadas, que foi de 27% para 3%.

Em dez anos

Olhando um horizonte mais longo, a pesquisa Origem-Destino, feita pelo Metrô acada dez anos, mostrou que o total de viagens de bike entre 2007 e 2017 subiu 25% na cidade, de 310 mil para 389 mil. Nos dois anos, o principal motivo apontado pelos pesquisados para escolher pedalar foi a conveniência para cumprir pequenas distâncias.

A prefeitura promete implantar 173 km novos de ciclovias e ciclofaixas até o final do ano que vem. Atualmente, são 503 de vias para bikes na cidade.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo