Operação mira 20 dos 27 vereadores de Uberlândia por suspeita de corrupção

Por Metro Jornal

Uma operação mira 20 dos 27 vereadores da Câmara Municipal de Uberlândia, em Minas Gerais, que tiveram prisões preventivas ou temporárias decretadas pela Justiça nesta segunda-feira (16). Eles são investigados por desvio de verbas de gabinete da cidade.

De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais, os políticos usaram gráficas de fachada para imprimir materiais superfaturados com dinheiro público. Entre os alvos estão toda a Mesa Diretora da Casa, e parlamentares de partidos de diferentes correntes, como PSC, PL, PSB, Republicanos, PSB, PSD, PT, Solidariedade, Patriota, Cidadania e PP.

Leia também:
Deck de madeira que cedeu e provocou morte de grávida em Juqueí estava deteriorado
Bolsonaro diz que TV Escola ‘deseduca’ e chama Paulo Freire de ‘energúmeno’

Veja lista dos vereadores de Uberlândia com prisão decretada:

  1. Alexandre Nogueira (PSD)
  2. Ceará (PSC)
  3. Doca Mastroiano (PL)
  4. Dra. Flavia Carvalho (PDT)
  5. Dra. Jussara (PSB)
  6. Felipe Felps (PSB)
  7. Hélio Ferraz, Baiano (PSDB)
  8. Isac Cruz (Republicanos)
  9. Juliano Modesto (SD)
  10. Marcio Nobre (PSD)
  11. Pâmela Volp (PP)
  12. Paulo César PC (SD)
  13. Ricardo Santos (PP)
  14. Rodi (PL)
  15. Roger Dantas (Patriota)
  16. Ronaldo Alves (PSC)
  17. Silésio Miranda (PT)
  18. Vico (Sem Partido)
  19. Vilmar Resende (PSB)
  20. Wender Marques (PSB)

Além dos políticos, também são alvos da operação Má Impressão funcionários do Legislativo e empresários, totalizando 40 pedidos de detenção e 42 de busca e apreensão. Até 12h, 18 dos 20 vereadores haviam sido presos e 15 dos 20 demais nomes também foram localizados e detidos.

O Ministério Público aponta que mais de R$ 4 milhões foram gastos com serviços de impressões desde janeiro de 2017, sendo principalmente informativos – 17,5 milhões, correspondente a 35 por eleitor.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo