Moradores de Paraisópolis pedem que governo crie condições de realizar baile com segurança

Por Rádio Bandeirantes

Moradores de Paraisópolis querem que o Estado crie condições para o “baile da 17” continuar acontecendo com segurança. Gilson Rodrigues, líder comunitário, explicou em entrevista à Rádio Bandeirantes que o pancadão começou há sete anos e foi crescendo muito.

Ele disse que não existe coordenação e hoje 80% dos frequentadores são de fora da favela. Ainda segundo Rodrigues, as ações contra o baile funk foram intensificadas e criaram um clima de violência.

Para o líder comunitário, na tragédia da madrugada de domingo o grande erro da polícia foi encurralar as pessoas. Ele afirma que por isso os mortos são de fora de Paraisópolis.

O líder comunitário espera que o episódio faça o governo de São Paulo rever a estratégia de apenas tentar impedir o baile.

O “baile da 17” normalmente acontece nas noites de 6ª feira e sábado. No entanto, relatos de moradores indicam que nas últimas semanas tem durado de 5ª a domingo.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo