Veio pra ficar! Black Friday no Brasil em números

Por Metro Jornal

Desde que começou no Brasil, a Black Friday passou de um evento importado dos Estados Unidos para uma das maiores datas do comércio nacional. De 2010 para cá, as marcas passaram a disputar a atenção dos consumidores, seja pela internet ou em lojas físicas.

CONFIRA TUDO SOBRE A BLACK FRIDAY 2019:

Black Friday: Entenda quais são seus direitos em casos de troca ou devolução
Veio pra ficar! Black Friday no Brasil em números
Milhas, cupons, ‘cashback’: como recuperar parte dos gastos na Black Friday
Black Friday: lojas físicas alcançam o patamar de vendas do e-commerce
Saiba como aproveitar a Black Friday para viagens mais baratas
Black Friday sem pegadinha: Veja sites que monitoram os preços em tempo real
Black Friday também tem pacotes de viagem mais baratos; aprenda a achar os melhores
Black Friday está repleta de promoções de livros; saiba como aproveitar
Black Friday tem ofertas para comprar imóvel; negócio requer maior cuidado
Black Friday é boa oportunidade para quem quer comprar carro; veja dicas
Black Friday: O que você precisa saber antes de começar a comprar

“As marcas nunca estiveram tão atentas à necessidade de construção de relacionamento para converter. Com tantas ofertas disponíveis em datas como a Black Friday, a tática de anunciar descontos de maneira concentrada e incisiva virou commodity e não funciona mais”, explica a gerente comercial do Twitter no Brasil, Daniela Noyori.

Olhando para os dados, dá para entender a proporção que a sexta-feira tomou. O Metro Jornal reuniu dados de pesquisas do Google e do Twitter sobre os números da Black Friday. Dá só uma olhada!

  • 55%
    fazem a lição de casa e não deixam a pesquisa para a última hora!
  • 76%
    das pessoas entendem que a Black Friday não se restringe apenas à última sexta-feira de novembro
  • 58%
    é o crescimento da intenção de compras online
  • 69%
    dos consumidores já sabem o que vão comprar
  • 87%
    pretendem comprar em mais de uma categoria
  • R$ 1,3 mil
    gasto médio estimado
  • 90%
    dos internautas seguem suas marcas preferidas no Twitter
  • 24%
    dos brasileiros pretendem comprar online e retirar na loja
  • 20%
    é o crescimento do volume de tweets com a hashtag #BlackFriday em 2019
  • 39%
    esperam ofertas exclusivas nas páginas de redes sociais
  • R$ 3,5 bi
    é quanto comércio online deve movimentar; já o varejo de lojas físicas pode atingir R$ 3 bi
  • 37%
    dos consumidores vão comprar apenas em lojas físicas, enquanto
  • 38%
    dos clientes vão gastar exclusivamente pela internet
  • 71%
    dos entrevistados compraram em lojas online que nunca tinham comprado até a Black Friday de 2018, enquanto
  • 33%
    dos participantes compraram em algum varejista que não conheciam

Tendências de busca no Google

Os itens mais buscados pelos consumidores online.

Eletrodomésticos
Cooktop
Fogão
Forno
Geladeira
Máquina de lavar roupa

Eletroportáteis
Ventilador
Cafeteira
Fritadeira
Aspirador de Pó
Liquidificador

Qual o melhor horário para comprar?
Segundo uma pesquisa do Reclame Aqui, cerca de 35% dos consumidores pretendem comprar online somente após as 18h de amanhã. Isso pode gerar lentidão nos sites, que estarão com um tráfego intenso. Por outro lado, entre 14h e 18h deve ser um horário tranquilo, com 17% dos clientes fazendo compras. Programe-se!

Loading...
Revisa el siguiente artículo