Oito anos depois, motorista de Porsche que matou advogada será julgado por homicídio

Por Lucas Jozino - Rádio Bandeirantes

Oito anos depois, o motorista de um carro de luxo que se envolveu num crime de trânsito deve finalmente ser julgado. Em 2011, o empresário Marcelo Malvio Alves de Lima dirigia a 116 km/h na rua Tabapuã, zona sul de São Paulo, onde a velocidade limite era de 60 km/h.

Em um cruzamento do bairro do Itaim Bibi, o carro de Marcelo, um Porsche, atingiu o veículo da advogada Carolina Santos, que morreu na hora. Em 2013, o Ministério Público denunciou o empresário por homicídio duplamente qualificado.

Veja também:
Queda de carga de caminhão trava avenida na zona oeste
Projeto Guri abre inscrições para 2020; saiba como participar

Nos últimos anos, a defesa recorreu diversas vezes para transformar o caso em culposo, quando não há intenção de matar. O processo chegou ao Supremo, que determinou a realização de júri popular por dolo eventual, quando se assume o risco de matar.

O julgamento está marcado para esta segunda-feira (25), às 13h, no Fórum da Barra Funda, zona oeste de São Paulo.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo