Internados após tomar bebida possivelmente envenenada em Barueri deixam hospital

Por Metro Jornal

Deixaram o hospital na quarta-feira (20) os quatro pacientes que haviam ingerido uma bebida possivelmente envenenada em Barueri, na Grande São Paulo. Eles estavam internados desde sábado (16).

O quinto hospitalizado, Vinicius de Salles Cardoso, 31 anos, recebeu alta médica um dia antes e teve a prisão temporária de 30 dias decretada pela Justiça. Ele passou de vítima para suspeito durante as investigações porque deu depoimentos com versões conflitantes sobre o episódio, segundo o delegado Anderson Giampaoli.

No sábado, nove pessoas – entre elas alguns moradores em situação de rua – passaram mal em uma praça de Barueri após compartilharem de uma garrafa de cachaça – quatro homens morreram e outros quatro homens e uma mulher foram internados.

Veja também:
Aliança pelo Brasil vai entrar na corrida pela formação com outros 76 partidos
Fernando Pimentel é condenado a 10 anos de prisão por lavagem de dinheiro

Imagens de câmeras de monitoramento mostram que foi Cardoso quem ofereceu a bebida ao grupo. Na segunda-feira, ele havia dito em depoimento que recebeu a garrafa na noite de sexta passada de um homem na Cracolândia, no centro de São Paulo.

Um amigo que estava com ele, no entanto, negou essa versão. Em novo depoimento anteontem, o suspeito disse que recebeu a garrafa no sábado de um homem em Barueri, que pediu que desse a bebida aos moradores de rua. Depois, disse que encontrou a garrafa jogada na rua há duas semanas e que a deixou guardada em um albergue.

Advogada de Cardoso – que é viciado em drogas e tem passagens pela polícia –, Patrícia Carvalho disse que a prisão foi precipitada. “Ele não está em condições psicológicas e de saúde de dar qualquer declaração que possa ser considerada.”

A polícia ainda espera o resultado da perícia para determinar a substância que havia na garrafa e se as mortes foram intencionais ou acidentais.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo