Justiça decreta prisão do ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes

Por Agência Brasil

A 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro decretou a prisão preventiva do ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes. Ele é investigado na operação Patrón, um desdobramento da operação Lava Jato, por corrupção, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa. O esquema envolve o doleiro Dario Messer, conhecido como "doleiro dos doleiros", preso em julho na operação Câmbio, Desligo.

Policiais federais fazem nesta terça-feira (19) a operação para prender o ex-presidente e outros 19 investigados, de acordo com o Ministério Público Federal. Ainda segundo a MPF, a Justiça considerou que a prisão de Cartes é necessária devido a “graves riscos para a ordem pública, pela contemporaneidade e gravidade dos crimes investigados e por ser a única forma para irromper os crimes de lavagem de dinheiro já comprovados”.

Veja também:
Operação investiga venda de decisões judiciais no TJ-BA; quatro são presos
CCJ pode votar emenda da prisão após segunda instância nesta terça

A operação é chamada de Patron, ou seja, “patrão” em português, uma referência ao apelido dado por Messer ao ex-presidente paraguaio. De acordo com a Polícia Federal, as investigações identificaram 20 milhões de dólares que teriam sido ocultados por Dario Messer, dos quais 17 milhões foram colocados em um banco do arquipélago caribenho das Bahamas e o restante dividido entre doleiros, casas de câmbio, políticos e empresários do Paraguai.

Ainda segundo a PF, Cartes seria a pessoa de maior confiança de Messer no Paraguai e teria ajudado o doleiro a fugir de autoridades brasileiras e paraguaias. Os alvos que residem no Paraguai e nos Estados Unidos foram incluídos na lista vermelha da Interpol, a polícia internacional.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo