Santo André terá mapa digital de turismo com atrações da cidade

Por Metro Jornal

A partir do primeiro semestre de 2020, Santo André vai contar com um mapa do turismo que deverá reunir os principais locais do município com atrações destinadas aos turistas e também para a população local. Conhecida no setor principalmente pela histórica Vila de Paranapiacaba, a cidade pretende lançar um portal na internet com outros pontos para visitação.

A Prefeitura de Santo André divulgou semana passada no diário oficial um chamamento para que os moradores interessados em cadastrar os seus negócios possam fazer parte do mapa, intitulado CMTur (Cadastro Municipal de Turismo). Conforme informações da gestão municipal, o projeto tem como foco impulsionar os diversos setores do município, incluindo as rede gastronômica e hoteleira, os centros de compras, os circuitos culturais e ambientais, além dos principais eventos da cidade, tanto os públicos como os privados.

Veja também:
Mais brasileiros contratam seguro de vida; entenda como funciona
Celular pré-pago sem cadastro atualizado terá linha bloqueada nesta segunda

Em um primeiro momento, o cadastro será feito da seguinte forma: o empreendedor deve enviar um e-mail para o endereço [email protected] informando o interesse na inclusão, o nome da empresa e qual o atual setor de atuação. A previsão da prefeitura é que as inscrições possam ser feitas dentro do próprio portal a partir do primeiro semestre de 2020.

Velhos conhecidos

De acordo com a gestão municipal, alguns locais públicos já conhecidos da população deverão entrar na lista da plataforma, como a Vila de Paranapiacaba, responsável por receber o Festival de Inverno anualmente, o Sabina Escola Parque do Conhecimento, que inclui o Planetário Johannes Kepler, o Teatro Municipal de Santo André Antônio Houaiss, a Casa da Palavra e o famoso calçadão da rua Cel. Oliveira Lima, considerado um dos principais centros de compras da região. A ideia é alimentar o portal com as informações dos locais privados e aproximar as duas partes.

A plataforma na internet será desenvolvida com recursos municipais já existentes, incluindo a base tecnológica e a mão de obra da prefeitura.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo