EUA: A corrida democrata a um ano das eleições

Por Ansa

Faltando um ano para a eleição presidencial nos Estados Unidos, em 3 de novembro de 2020, Donald Trump, alvo de um inquérito de impeachment na Câmara dos Representantes, dá sinais de resiliência e mostra aos democratas que não será fácil tirá-lo da Casa Branca.

Já em ritmo de campanha, o magnata segue de perto a batalha que definirá seu adversário na corrida eleitoral de 2020. As primárias da oposição reúnem cerca de 20 candidatos, mas três se destacam como favoritos: o ex-vice-presidente Joe Biden, mais moderado, e os senadores Elizabeth Warren e Bernie Sanders, identificados com o eleitorado de esquerda.

Pivô do inquérito de impeachment contra Trump, Biden parece ter atingido seu teto nas pesquisas nacionais e vê Warren se aproximando. Assim como Sanders, a senadora defende a universalização do sistema de saúde gratuito, a taxação de bilionários e o aumento das regulações contra Wall Street.

Devido à hegemonia de Biden entre os moderados, outros postulantes desse campo não conseguem decolar, como o prefeito homossexual de South Bend, Pete Buttigieg, e a senadora negra Kamala Harris.

Estados

Como os EUA definem seu presidente por meio de colégio eleitoral, pesquisas de âmbito nacional são pouco relevantes para apontar favoritos, ainda mais a um ano da abertura das urnas.

Nessa etapa da disputa, analistas e o público costumam olhar mais para os estados que abrem as primárias. Em Iowa, que dá início ao calendário eleitoral, em 3 de fevereiro, Warren aparece com uma sólida vantagem sobre Biden (22,3% a 15,7%), segundo o agregador de sondagens Real Clear Politics.

O ex-vice-presidente está praticamente empatado com Sanders (15,3%) e atrás de Buttigieg (17%), que vê em Iowa uma esperança de catapultar sua campanha nos outros estados. Em New Hampshire, que faz a primária em 11 de fevereiro, Warren (25%) lidera com quatro pontos sobre Biden e cinco sobre Sanders. Buttigieg tem 8,7%, de acordo com o RCP.

Nevada, terceiro estado em disputa, em 22 de fevereiro, registra liderança de Biden com cinco pontos de vantagem sobre Warren.

Democratas x Trump

Independentemente de quem for o candidato democrata à Casa Branca, ele terá vida dura contra Trump. Segundo uma pesquisa realizada pela Siena College para o jornal The New York Times, dos três principais postulantes, apenas Biden leva vantagem sobre Trump nos estados-chave para a corrida eleitoral.

O vice-presidente vence no Arizona (+5 pontos), na Flórida (+2), na Pensilvânia (+3) e em Wisconsin (+3), empata em Michigan e perde na Carolina do Norte (-2). Já Sanders ganha em Michigan (+2), Pensilvânia (+1) e Wisconsin (+2), porém é superado no Arizona (-1), na Carolina do Norte (-3) e na Flórida (-1).

Warren, que desponta como principal desafiante de Biden nas primárias democratas, ganha apenas no Arizona, com vantagem de dois pontos, e empata na Pensilvânia e em Wisconsin, mas Trump prevalece com boa vantagem na Carolina do Norte (-3), na Flórida (-4) e em Michigan (-6).

Esses estados serão determinantes na eleição de 2020, já que não são caracterizados como democratas nem como republicanos. Em 2016, Trump venceu em todos eles por margem estreita, o que lhe rendeu 101 de seus 304 votos no colégio eleitoral, contra 227 de Hillary Clinton.

Em Michigan, com 16 delegados, a diferença foi de 0,23 ponto percentual; na Pensilvânia, com 20, de 0,72; em Wisconsin, com 10, de 0,77 ponto. Se tivesse vencido nesses três estados, Hillary teria sido eleita presidente.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo