Cão 'influencer' e filho drag queen – família de Alberto Fernández chama atenção na Argentina

Por Metro Jornal

Em 27 de outubro, a Argentina escolheu um novo presidente: Alberto Fernández, membro do Partido Judicialista, veterano na política e componente da coligação Todos, formada junto à ex-presidente Cristina Kirchner.

Inicialmente apontado como meramente um artifício para a eleição da própria Kirchner, Fernandéz ganhou destaque durante a corrida presidencial, abrindo vantagem expressiva sobre o oponente Mauricio Macri já nas eleições primárias.

Mas não só a vitória de Fernández sobre o atual presidente repercutiu na mídia argentina. O núcleo familiar do candidato eleito também ganhou sua parcela de fama, particularmente por quebrar as expectativas de uma família "presidencial".

Dyhzy

O filho Estanislao Fernández é ponto de maior curiosidade. Cosplayer, streamer de jogos e drag queen, o jovem de 24 anos acumula seguidores no Instagram ao posar com fantasias inspiradas na cultura pop japonesa.

Estanislao também faz apresentações "montado" como drag queen – um tipo de arte performática baseada em assumir características de outro gênero, construindo uma nova identidade para si próprio. Além de seu talento para a moda e maquiagem, drags também costumam treinar habilidades em dança, canto, atuação ou comédia.

Estanislao Fernández, filho do novo presidente da Argentina Reprodução/Instagram

A performance em drag, entretanto, não configura uma sexualidade. O filho do novo presidente namora, há três anos, uma mulher: a jovem Natalia Edith Leone.

Em sua rede social, o filho do futuro presidente já posou como personagens de jogos online, celebridades e figuras de desenho animado. Em outra plataforma, o Twich, Estanislao assume o nome de usuário "dyhzy" (uma corruptela do inglês "dizzy", ou "zonzo") e transmite suas partidas de jogos para espectadores virtuais, em tempo real.

Seu pai, Alberto, já demonstrou aceitar e até orgulhar-se das atividades do filho. Em entrevista concedida à Rádio Con Vos, o candidato eleito, ele contou brevemente sobre como o filho começou a fazer arte drag.

"Meu filho é um dos sujeitos mais criativos que já vi na vida", conta. "Quando entrou no mundo dos quadrinhos e animes japoneses, começou a se fantasiar. Chamou atenção. Era muito bom, tão bom que começaram a chamar-no para festivais pelo mundo".

Nos últimos três anos, Estanislao exibiu seus cosplays na Comic-Con em San Diego, Estados Unidos – maior convenção de cultura pop e nerd no planeta. "Quando começou a se destacar, também começou a fazer personagens femininos dos quadrinhos. Depois, partiu para o drag queen, que são disfarces e fotos artísticas que ele faz".

Dylan

O outro "filho" de Alberto Fernández também tem sua fama nas redes sociais. Dylan é o collie da família, e seu nome é homenagem ao cantor folk estadunidense Bob Dylan.

View this post on Instagram

♥️

A post shared by Dylan 🐾 (@dylanferdezok) on

Com seus pelos esvoaçantes e porte elegante, ele ganhou seu próprio Instagram. O cão quase supera seu "irmão", Estanislao, em número e seguidores – 100 mil contra 118 mil. A fama e a fofura de Dylan foram importantes ferramentas de campanha para a coligação "Todos", com o cãozinho presente em diversos materiais de divulgação de Fernández.

Em sua rede social, fotos dos pets de eleitores da chapa são compartilhadas nos stories, garantindo interação com o público. A presença digital dos bichinhos foi inclusive transformada numa estratégia de campanha, denominada "la patria perronista"– uma brincadeira com as palavras "perro", o espanhol para "cachorro", e "peronista", em referência ao movimento político-social idealizado por Juan Domingo Perón.

Em uma das montagens que compõem o Instagram do "perro", antecedente às eleições, Dylan é apresentado como "futuro perro presidencial". Dito e feito: o collie midiático agora integra o núcleo íntimo do novo chefe de Estado argentino.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo